Mais lidas
Geral

Há unidade mundial contra armas nucleares da Coreia, diz Tillerson

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A adoção pela ONU de sanções contra a Coreia do Norte demonstrou que "existe unidade entre as potências mundiais para exigir uma península coreana desnuclearizada", disse, nesta segunda-feira (7), o secretário de Estado norte-americano Rex Tillerson.

Em declarações à imprensa durante o fórum em Manila, na Filipinas, o chefe da diplomacia americana acrescentou que o regime de Kim Jong-Un deve cessar as provas de mísseis balísticos se quiser dialogar com os Estados Unidos e pôr fim à crise.

Durante o fórum da Associação de Nações do Sudeste Asiático, os ministros de Relações Exteriores da Coreia do Sul e do Norte se reuniram brevemente, informou a agência sul-coreana Yonhap, citando uma fonte diplomática de Seul.

Antes de um jantar, o ministro sul-coreano de Relações Exteriores pediu ao norte-coreano que aceite a proposta de diálogo, mas ele respondeu que "falta sinceridade" nas ofertas de Seul, já que "o Sul coopera com os Estados Unidos para pressionar o Norte", disse a fonte anônima.

O encontro aconteceu um dia depois do Conselho de Segurança da ONU aprovar novas sanções contra a Coreia do Norte, por conta de seus testes balísticos.

A crescente ameaça do país comunista, dotado de armas nucleares, foi tema dominante no fórum regional.

TRUMP

Os presidentes Donald Trump (EUA) e Moon Jae-In (Coreia do Sul) concordaram, neste domingo (6), que a Coreia do Norte é uma ameaça direta, grave e crescente para seus países e o Japão. Em uma conversa telefônica, realizada depois das sanções aprovadas na ONU, eles se comprometeram a implementar, em sua totalidade, todas as resoluções relevantes e convocar a comunidade internacional a fazer o mesmo.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber