Geral

ATUALIZADA - Trump assina lei que impõe novas sanções contra a Rússia

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta quarta-feira (2) uma lei que impõe novas sanções econômicas contra a Rússia, informou a Casa Branca.

Dado a demora do presidente em assinar a lei, aprovada na última quinta-feira pelo Congresso americano, especulou-se que Trump poderia estar resistindo a endossar as medidas, que haviam provocado retaliações por parte do presidente russo, Vladimir Putin. No domingo, Putin, anunciou que 755 diplomatas americanos terão de deixar a Rússia até o dia 1º de setembro, reduzindo para 455 o número de representantes dos EUA em território russo.

O Congresso, controlado pelos republicanos, aprovou as sanções para punir o governo russo quanto à suposta interferência na eleição presidencial de 2016, a anexação da Crimeia da Ucrânia e outras violações de normas internacionais.

A lei promulgada pelo presidente americano também sanciona o Irã e a Coreia do Norte por seus programas de desenvolvimento de mísseis e por abusos de direitos humanos, inclusive buscando punir bancos estrangeiros que fazem negócios com a Coreia do Norte.

Após a assinatura –realizada a portas fechadas–o presidente americano fez uma declaração na qual qualificou a lei de sanções como "gravemente imperfeita".

"A lei segue sendo gravemente imperfeita, sobretudo porque limita a capacidade do Poder Executivo de negociar", disse Trump.

A nova legislação afetará uma série de indústrias russas e poderá prejudicar ainda mais a economia do país, já enfraquecida por sanções impostas depois que a Rússia anexou a região Crimeia, em 2014.

Os legisladores também introduziram um mecanismo que os permitiria fazer valer a lei mesmo em caso de veto do presidente republicano, deixando-o sem alternativa.

A lei também confere aos congressistas o direito de intervir caso Trump decida suspender as sanções vigentes contra a Rússia.

Desde que assumiu o poder, Trump tem sido afetado pelas denúncias de cumplicidade de seu comitê de campanha com a Rússia para derrotar a democrata Hillary Clinton. À frente da Casa Branca, Trump tentou melhorar publicamente as relações com a Rússia, mas o Congresso decidiu, por uma maioria esmagadora, aplicar as sanções contra seu tradicional adversário.