Facebook Img Logo
Mais lidas
Geral

ATUALIZADA - Vans escolares fazem carreatas pelas ruas de SP e prejudicam trânsito

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Motoristas de vans escolares fizeram nesta terça-feira (11) um protesto pelas ruas de São Paulo. Eles cobraram a regularização da folha salarial, que sofreu atrasos em abril e maio.

Vários grupos saíram de diversos pontos da capital por volta das 6h e se dirigiram à praça Charles Miller, em frente ao estádio do Pacaembu, na região central de São Paulo. No local, discursaram contra os atrasos salariais.

Os motoristas prestam serviço ao programa TEG (Transporte Escolar Gratuito), criado em 2003 pela prefeitura da capital paulista. Os profissionais são responsáveis pelos deslocamentos de 74 mil alunos da rede municipal de ensino.

O protesto desta terça (11), no entanto, não afetou nenhum estudante, porque a rede municipal está em recesso.

A manifestação ocorreu desde as primeiras horas do dia e travou o trânsito na avenida das Nações Unidas (zona sul), na Radial Leste e na avenida Eusébio Matoso (zona oeste) antes de os profissionais se concentrarem na praça Charles Miller.

OUTRO LADO

A secretaria de Educação da gestão Doria (PSDB) informou, por meio de nota, que precisou suspender os repasses após verificar que uma leva de crianças não inscritas no programa estavam sendo transportadas. "As secretarias de Transporte e Educação iniciaram então uma auditoria, o que atrasou o pagamento, que já foi regularizado", esclareceu.

Segundo a pasta, o dinheiro referente ao mês de abril demorou três dias para cair na conta dos motoristas. O repasse da folha seguinte teve mais sete dias de atraso.

A secretaria disse ainda que a auditoria feita no programa não terminou e que localizou, de forma preliminar, 2.000 estudantes sendo transportados sem estarem inscritos no programa.

A pasta salientou ainda que nenhum dos alunos cadastrados foi retirado da iniciativa.

Os pais que ainda não inscreveram os filhos no programa de transporte ou que desejam verificar a situação cadastral da criança podem solicitar a adesão ao benefício na própria escola ou nas 13 diretorias regionais de ensino espalhadas pela capital paulista. Para o aluno conseguir a adesão, precisa morar, ao menos, a dois quilômetros de distância da escola onde estuda, entre outros requisitos.

As pastas da Educação e do Transporte afirmaram ainda que estão abertas ao diálogo com as cooperativas, empresas e motoristas autônomos que prestam serviços ao transporte escolar da cidade.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber