Mais lidas
Geral

Opositor Leopoldo López é transferido para prisão domiciliar na Venezuela

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O líder oposicionista venezuelano Leopoldo López, 46, foi transferido neste sábado (8) para regime de prisão domiciliar. De acordo com o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) do país, a concessão foi feita por causa de problemas de saúde.

Em 2014, Leopoldo López, líder do Vontade Popular, foi condenado a quase 14 anos de prisão por incitar a violência em uma série de protestos contra o governo Maduro.

No Twitter, a conta do TSJ afirmou que o presidente da entidade, Maikel Moreno, tomou a decisão por razões "humanitárias".

Mais cedo, o advogado de López disse que o opositor está com a família.

"López está em sua casa em Caracas com Lilian [Tintori, sua esposa] e seus filhos", tuitou o advogado Javier Cremades. "É preciso que devolvam a López todos os seus direitos civis e políticos", afirmou.

Desde o final de junho, Lilian seus familiares não tinham notícias de López. Em um vídeo datado do mesmo mês, o opositor gritava em sua cela: "Lilian, estão me torturando! Denuncie!".

Formado em economia na prestigiosa universidade americana de Harvard, López integra a oposição mais dura ao regime chavista, que o acusa de ser "de extrema-direita" e "golpista".

MANIFESTAÇÕES

A decisão da Justiça acontece num momento de grande tensão na Venezuela. Na quarta-feira (5), militantes pró-Maduro invadiram a Assembleia Nacional e cerca de 300 políticos e jornalistas permaneceram bloqueados no edifício durante nove horas.

As manifestações contra o presidente Maduro são quase diárias há três meses no país e já deixaram mais de 90 mortos.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber