Mais lidas
Geral

Junho termina com 78% mais chuva do que a média histórica do mês em SP

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Apesar de ser considerado um dos meses mais secos do ano, junho termina nesta sexta-feira (30) com um acumulado de chuva 78% maior do que a média histórica do mês na capital paulista, segundo dados do CGE (Centro de Gerenciamento de Emergência), da prefeitura.

Ao todo, foram 90,8 milímetros de chuva durante todo o mês, contra a média de 51 mm registrada desde 1995, quando começaram os registros do órgão. Apenas dois dias concentraram mais de 60% de toda a precipitação: foram 32,2 mm registrados no dia 5 e 31,5 mm, no dia 6.

De acordo com o CGE, nos últimos seis anos não tem sido incomum que as chuvas ultrapassem a média esperada para o mês, o que contraria a expectativa para o outono, que normalmente é de redução gradual dos volumes de chuva. O junho mais chuvoso desde 1995 aconteceu em 2012, quando as precipitações chegaram a 191,4 mm.

Desde o início do ano, a capital paulista tem registrado acúmulo significativo de chuva. O mês de janeiro foi o mais chuvoso desde 2011, com 453,8 mm; abril foi o nono com maior volume de chuva da história, com 143,1 mm; e maio terminou como o mais chuvoso dos últimos 12 anos, com 153,4 mm.

Apesar do destaque em relação às chuvas, as temperaturas ficaram dentro da média em junho, com mínima em torno dos 13,2°C e a máxima média de 22,7°C, segundo dados do CGE.

O mês de julho começa neste sábado (1º) com mudança nas temperaturas e possibilidade de chuvas isoladas na região metropolitana de São Paulo. Os dias, que estavam sendo predominantemente ensolarados, ficarão mais nublados e os termômetros ficarão entre os 13°C e os 17°C.

Uma queda mais acentuada das temperaturas é esperada para os próximas dias, com as mínimas podendo ficar abaixo dos 10°C entre domingo (2) e segunda (3). Já as máximas não deverão ultrapassar os 16°C, segundo previsão do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber