Geral

Bombardeio contra área do EI na Síria mata ao menos 30 civis, diz ONG

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um ataque aéreo contra o vilarejo de Dablan, no leste Síria, em território controlado pela organização terrorista EI (Estado Islâmico), deixou ao menos 30 civis mortos e dezenas de feridos nesta quarta-feira (28), informou a ONG OSDH (Observatório Sírio dos Direitos Humanos).

De acordo com o OSDH, que tem sede no Reino Unido, não está claro quem conduziu o bombardeio. Aviões militares do regime sírio, da Rússia e da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos realizam operações na região sem coordenação entre si.

Na segunda-feira (26), um ataque da coalizão dos EUA atingiu um prédio usado como prisão pelos combatentes do EI na cidade de Mayadeen, a cerca de 20 quilômetros a noroeste de Dablan, de acordo com o OSDH. A coalizão confirmou ter feito um bombardeio na localidade.

Os serviços de inteligência dos EUA dizem que o EI transferiu suas principais lideranças na Síria para Mayadeen. A cidade de Raqqa, autoproclamada capital dos extremistas no país, localizada a 200 quilômetros a noroeste de Dablan, é alvo de uma ofensiva por terra realizada por milícias árabes e curdas com apoio aéreo americano.

As forças governamentais que atuam na Síria negam atacar civis propositalmente, embora haja diversos relatos de bombardeios indiscriminados conduzidos por todas elas contra áreas densamente povoadas.

Em mais de seis anos, a guerra civil na Síria já deixou cerca de 500 mil mortos e forçou 12 milhões de pessoas, aproximadamente metade da população do país, a se deslocar. Destas, 5 milhões fugiram do país, contribuindo para o agravamento da crise global de refugiados.