Mais lidas
Geral

ATUALIZADA - Novo ciberataque atinge empresas de diversos países

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Empresas e bancos de diversos países são alvos de um ataque cibernético, que teve início na Rússia e na Ucrânia e se espalha pela Europa nesta terça-feira (27).

Em maio, uma onda de ciberataques aparentemente coordenados atingiu computadores de empresas e órgãos governamentais em pelo menos 74 países, incluindo o Brasil.

Nesta terça, de acordo com o conselheiro ucraniano Anton Gerashchenko, os sistemas de tecnologias de empresas foram alvo do "Cryptolocker", versão do vírus "WannaCry" que bloqueou milhares de computadores em maio.

De acordo com informações de várias empresas, o vírus faz aparecer na tela dos aparelhos afetados um pedido de US$ 300 (R$ 994) de resgate.

O banco central da Ucrânia informou que bancos comerciais e públicos do país, bem como empresas privadas, foram alvo dos ataques, que também afetaram aeroportos e escritórios do governo.

"Como resultado desses ataques virtuais, esses bancos estão tendo dificuldades com serviços aos clientes e operações bancárias", informou o BC ucraniano em comunicado, sem identificar as instituições afetadas.

"O banco central está confiante de que a infraestrutura de defesa bancária contra fraude virtual está adequadamente estabelecida e tentativas de ataques contra os sistemas de TI dos bancos serão neutralizadas", afirmou.

Devido a este ataque, os passageiros do metrô de Kiev não podiam pagar suas passagens com cartão de crédito, os painéis do aeroporto de Kiev não funcionavam, e os bancos ucranianos precisaram paralisar alguns dos serviços oferecidos a seus clientes.

EMPRESAS AFETADAS

O gigante publicitário britânico WPP e a companhia francesa Saint-Gobain também confirmaram terem sido hackeados, acrescentando que seus sistemas de informática foram protegidos a tempo de evitar perda de dados.

"Estamos falando de um ataque cibernético", disse Anders Rosendahl, porta-voz da da companhia de transporte dinamarquesa A.P.Moller-Maersk, que tem sede em Copenhague. "Isso afetou todos os ramos do nosso negócio, no país e no exterior".

O vírus "está se espalhando ao redor do mundo, muitos países são afetados", afirmou no Twitter o pesquisador Costin Raiu, do laboratório russo Kaspersky.

A companhia petrolífera russa Rosneft declarou ser vítima de um "poderoso ataque cibernético", ressaltando que a produção de petróleo não havia sido interrompida.

De acordo com a sociedade especializada em cibersegurança Group-IB, "cerca de 80 empresas foram atingidas" na Rússia e na Ucrânia. Entre elas, Mars, Nivea, Auchan e estruturas do governo ucraniano.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber