Mais lidas
Geral

ATUALIZADA - União Europeia abre porta para reversão do 'brexit'

.

DIOGO BERCITO

MADRI, ESPANHA (FOLHAPRESS) - O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, afirmou nesta quinta-feira (22), durante uma cúpula em Bruxelas, ainda ter esperanças de que o Reino Unido permaneça na União Europeia.

Tusk disse que foi questionado sobre a possibilidade de reverter o "brexit", nome que é dado à saída britânica. E respondeu citando uma canção de John Lennon.

"A União Europeia foi construída por sonhos que pareciam impossíveis de serem realizados. Vocês podem dizer que eu sou um sonhador, mas não sou o único", Tusk disse, com o conhecido trecho de "Imagine" ("you may say I am a dreamer, but I'm not the only one").

Essa declaração, recebida com risos, antecedeu em algumas horas seu encontro com a primeira-ministra britânica, Theresa May, em que eles discutiram o "brexit".

Em uma inflexão às exigências do bloco econômico, ela ofereceu que os cidadãos europeus que residem no Reino Unido tenham os mesmos direitos dos britânicos.

A oferta não é o bastante, porém. Os negociadores querem que os direitos sejam garantidos pelo Tribunal de Justiça da União Europeia, o que o Reino Unido recusa.

Não há consenso, por ora, sobre a possibilidade de reverter o "brexit". A União Europeia já deu sinais de estar disposta a debater esse cenário, mas o governo em Londres não mostra interesse.

O acordo final, após dois anos de negociações recém-iniciadas, precisa de aval do Parlamento britânico.

"BREXIT DURO"

Tusk preside nestas quinta e sexta uma cúpula da União Europeia, em Bruxelas, sobre temas como a saída britânica e defesa.

As reuniões ocorrem sob segurança reforçada apenas dois dias depois de as autoridades belgas terem frustrado uma tentativa de atentado na cidade. Um homem foi morto ao detonar uma bomba sem deixar vítimas.

As negociações para o "brexit" começaram oficialmente nesta semana. A saída britânica foi aprovada em um plebiscito um ano atrás, em 23 de junho de 2016.

A primeira-ministra Theresa May chega à cúpula mais enfraquecida do que antes do início das negociações.

Ela antecipou as eleições gerais previstas para 2020 para o início deste mês com o plano de ampliar sua maioria parlamentar, mas acabou perdendo assentos. O Partido Conservador tem 318 cadeiras das 650 existentes. Antes da votação, tinha 330.

May defende o que é conhecido como "brexit duro", em que o Reino Unido deixaria também o mercado único europeu. Mas, após o revés eleitoral, se vê contestada.

O prefeito de Londres, o trabalhista Sadiq Khan, pediu nesta quinta que May mantenha o país no mercado único, que congrega 500 milhões de consumidores, alegando que "o governo precisa ouvir a vontade do povo".

POPULISMO

O início do encontro em Bruxelas foi de fato marcado por algum tipo de esperança, como sugerido pela canção.

Em nota enviada a líderes europeus antes da cúpula, Tusk celebrara as vitórias do bloco diante de repetidas ameaças do populismo.

A comemoração tem como pano de fundo a eleição à Presidência da França de Emmanuel Macron, que derrotou a ultranacionalista de direita Marine Le Pen em maio.

"Vamos nos reunir em um contexto político diferente daquele de alguns meses atrás, quando as forças anti-europeias estavam em alta."

Tusk afirmou que a UE voltou a ser vista como solução em vez de problema. Insatisfações em relação ao bloco, visto como benéfico apenas para parte da população, alimentam movimentos como a Frente Nacional de Le Pen.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber