Geral

Secretário de Crivella ironiza crítica de escolas de samba com meme

.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O secretário municipal de Conservação e Meio Ambiente do Rio, Rubens Teixeira, ironizou com um meme as críticas das escolas de samba sobre a decisão do prefeito Marcelo Crivella (PRB) em cortar metade da verba destinada às agremiações no Carnaval do ano que vem.

Ele postou em sua página no Facebook uma imagem que diz que, com a ameaça da Liesa (Liga das Escolas de Samba) em não realizar o desfile na Marquês de Sapucaí, "agora Crivella pode cortar 100% da verba das escolas de samba".

"Nem todos os turistas ou cidadãos cariocas que participam do Carnaval vão ao Sambódromo! A maioria do povo não vai lá. A maioria de quem participa do carnaval vai para blocos de rua e outras programações. Muitos saem da cidade. Se é um 'show' apenas para alguns, seria ótimo a iniciativa privada explorar. Há outras prioridades urgentes que beneficiam a expressiva maioria e que devem ser foco dos gestores sérios", escreveu na quinta-feira (15) o secretário.

Crivella anunciou que reduzirá à metade o patrocínio das 13 escolas de samba do Grupo Especial, repassando R$ 1 milhão para cada uma no ano que vem. A Liesa afirmou que a decisão "inviabiliza" o evento. A Riotur disse que vai tentar captar recursos privados para a festa -a iniciativa ainda não deu resultado com as Paradas LGBTs, que também perderam verba pública.

Em resposta aos jornais "O Globo" e "Extra", que publicaram neste sábado (17) a postagem de Teixeira, ele afirmou que "estas frases que publiquei na minha página não são minhas". "Banners com minhas frases, mesmo nas minhas redes, vêm assinados. Esta está circulando pela internet", afirmou.

"Na administração anterior dobrou-se os recursos do Carnaval de um ano para o outro, por decisão política, e não há qualquer demonstração de retorno financeiro proporcional para os cofres da prefeitura. O então prefeito [Eduardo Paes] aparecia na mídia como 'carnavalesco'. Era como se um religioso dobrasse o dispêndio de recursos públicos para uma atividade religiosa. Não ficaria bem, a meu ver. Mas parece que não foi dada a devida importância a este desalinhamento ético", escreveu Teixeira, pastor da Assembleia de Deus.

Está marcada para este sábado uma manifestação das escolas de samba em frente à sede da prefeitura, no centro.