Mais lidas
Geral

'Há uma ditadura do politicamente correto', diz Almodóvar em Cannes

.

GUILHERME GENESTRETI, ENVIADO ESPECIAL*

CANNES, FRANÇA (FOLHAPRESS) - Presidente do júri da edição deste ano do Festival de Cannes, o cineasta espanhol Pedro Almodóvar justificou a vitória do longa "The Square", afirmando que o filme é engraçado ao lidar com o que chamou de "ditadura do politicamente correto".

"Esse é um tema sério, mas que é tratado com muita leveza", disse o diretor. "Vivemos uma ditadura do politicamente correto, que é pior do que todas as ditaduras."

"The Square" rendeu a primeira Palma de Ouro ao diretor sueco Ruben Östlund. O filme desanca o mundo da arte contemporânea lançando mão de uma série de situações absurdas que disparam contra artistas, curadores e jornalistas que circulam nesse meio.

A vitória não foi pacífica. "The Square" colheu críticas contrastantes por parte da imprensa. Parte dela o chamou de "força menor", uma alusão ao aclamado longa anterior de Östlund, "Força Maior".

"Não houve sangue, o que não significa que não tenhamos discordado e discutido bastante em todas as categorias", disse Almodóvar sobre as escolhas do júri.

O diretor deixou transparecer um título que o comoveu: o francês "120 BPM", de Robin Campillo, que era tido como um dos favoritos à Palma e acabou levando o Grande Prêmio do Júri, o segundo mais importante.

"Amei", disse. "Fui tocado desde o começo", afirmou Almodóvar segurando o choro.

"120 BPM" trata da luta de ativistas do Act Up, grupo de defesa de pacientes soropositivos que nos anos 1990 se insurgiu contra a homofobia e o descaso do governo e da indústria farmacêutica.

Muitas das escolhas do júri entraram em desacordo com a opinião reinante na imprensa, particularmente no quesito roteiro, dividido entre dois filmes que não colheram recepção positiva: "The Killing of a Sacred Deer", do grego Yorgos Lanthimos, e "You Were Never Really Here", da escocesa Lynne Ramsay.

O filme "The Square", do sueco Ruben Östlund, foi o principal vencedor da edição deste ano do Festival de Cannes. A obra levou a Palma de Ouro, prêmio mais importante dessa que é a mostra de cinema mais conhecida do mundo. A cerimônia ocorreu na noite deste domingo (28), na cidade da costa sul da França.

Veja a lista dos vencedores na competição:

MELHOR FILME

"The Square", de Ruben Östlund

GRANDE PRÊMIO DO JÚRI

"120 BPM", de Robin Compillo

MELHOR DIREÇÃO

Sofia Coppola, por "O Estranho que Nós Amamos"

PRÊMIO DO JÚRI

"Loveless", de Andrey Zvyagintsev

MELHOR ATOR

Joaquin Phoenix, por "You Were Never Really Here"

MELHOR ATRIZ

Diane Kruger, por "In the Fade"

MELHOR ROTEIRO

"The Killing of a Sacred Deer" e "You Were Never Really Here"

PRÊMIO ESPECIAL PELOS 70 ANOS DO FESTIVAL

Nicole Kidman

MELHOR CURTA-METRAGEM

"A Gentle Night", de Qiu Yang

MENÇÃO ESPECIAL EM CURTA-METRAGEM

"The Ceiling", de Teppo Airaksinen

*O jornalista GUILHERME GENESTRETI se hospeda a convite do Festival de Cannes

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber