Mais lidas
Geral

ATUALIZADA - Polícia prende homem de 23 anos em conexão com ataque em Manchester

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A polícia britânica prendeu nesta terça-feira (23) um homem de 23 anos em conexão com o ataque da véspera durante um show da cantora pop Ariana Grande em Manchester. Segundo as autoridades, o suspeito foi preso na região sul da cidade.

Ele é o primeiro detido pela explosão de segunda-feira, que deixou ao menos 22 mortos e dezenas de feridos após o fim do show na Manchester Arena. Não há brasileiros entre as vítimas, informou o Itamaraty.

As autoridades trabalham com a hipótese de que o ataque foi realizado por um homem-bomba identificado como Salman Abedi, segundo informações da inteligência americana. A nacionalidade dele não foi divulgada. As investigações buscam entender, agora, se ele atuava sozinho ou se era parte de uma organização maior.

Um outro homem foi detido no shopping Arndale Centre, em Manchester, mas a polícia não vê indícios de que ele tenha conexão com o atentado. O local chegou a ser fechado temporariamente nesta terça.

ESTADO ISLÂMICO

A facção terrorista Estado Islâmico reivindicou nesta terça (23) a autoria da ação em uma mensagem que, no entanto, não apresentou nenhuma evidência de sua participação real. "Um soldado do califado conseguiu colocar explosivos em meio a uma reunião dos cruzados na cidade britânica de Manchester", disse a milícia. É possível, como em outros casos no passado, que o autor tenha agido sozinho e agora a facção tente se beneficiar da atenção na mídia, que é uma parte importante de sua estratégia para recrutar militantes.

O diretor de Inteligência dos Estados Unidos, Dan Coats, afirmou que as autoridades do país ainda não verificaram se o Estado Islâmico é responsável pelo ataque.

A segurança no restante do Reino Unido será incrementada, segundo um anúncio das autoridades britânicas, com um maior contingente policial deslocado para Londres.

A campanha eleitoral para a eleição parlamentar do dia 8 de junho foi suspensa após a primeira-ministra May conversar com o principal líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn.

REAÇÕES

A rainha Elizabeth 2ª disse nesta terça-feira que "a nação inteira está chocada" com o ataque. "Sei que falo por todo mundo ao expressar minha empatia mais profunda com todos os que foram afetados por esse evento horrível", afirmou.

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse estar triste e em choque. "As pessoas no Reino Unido podem estar convencidas de que a Alemanha está do lado delas."

O presidente americano, Donald Trump, comentou o ocorrido durante sua visita a Belém, na Cisjordânia. "Mantemos nossa absoluta solidariedade com o povo do Reino Unido". Ele descreveu os responsáveis pela ação como "perdedores malvados".

Vladimir Putin, presidente da Rússia, também demonstrou apoio aos britânicos.

Nesta terça, o presidente da França, Emmanuel Macron, visitou a embaixada britânica em Paris e deixou sua mensagem de condolência em um livro.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber