Mais lidas
Geral

"Minicracolândias" vão passar por operações, afirma Doria

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta segunda (22) que haverá operações em "minicracolândias" fora do centro da cidade, nos mesmos moldes da que ocorreu na região da Luz neste domingo (21).

O tucano diz que três pontos passarão por intervenções neste semestre: Vila Leopoldina (zona oeste), Radial Leste (zona leste) e avenida Jornalista Roberto Marinho (zona sul).

"Assim como na Luz, a ação será precisa e cirúrgica para evitar violência. Nós também vamos liberar essas três áreas do crack e dos traficantes", disse.

A prefeitura também afirma que não houve alteração na frequência de abordagens de pessoas em situação de rua ou com dependência química.

O governo Alckmin diz que atende dependentes das "minicracolândias" também por meio do Cratod (Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas) e do Recomeço.

Segundo a prefeitura, trailers com assistentes sociais, médicos, psicólogos e enfermeiros continuam atuando normalmente em áreas da cidade ocupadas por dependentes.

Sobre a região da Ceageap, afirma que há consultas médicas, psicológicas e atendimento social na região uma vez por semana.

Sobre a "minicracolândia" do viaduto Jabaquara, a gestão Doria afirma que agentes públicos acompanham dependentes químicos da região há três anos. Hoje, visitas são realizadas a cada 15 dias.

Já na região do viaduto Aricanduva, na zona leste, a prefeitura diz que a atuação de assistentes sociais e de agentes de saúde tem sido mais difícil.

"O grupo se instalou recentemente e resiste à presença dos agentes. A equipe do Consultório na Rua do Belém já iniciou o trabalho de aproximação e os primeiros contatos com o objetivo de criar vínculos e encaminhá-los para tratamento", diz.

A Secretaria da Segurança Pública, do governo Alckmin, diz que a PM mantém rondas com carros e motos nas regiões citadas pela reportagem. Também afirma que os policias são apoiados pelo Denarc (departamento de narcóticos).

Desde outubro de 2016, diz a pasta, a equipe da delegacia do bairro prendeu 106 pessoas em flagrante por tráfico na rua Manoel Bandeira e arredores.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber