Mais lidas
Geral

Supervisor de inquérito sobre Rússia é indicado

.


NOVA YORK, EUA (FOLHAPRESS) - As pressões de democratas pela nomeação de um promotor especial para investigar o envolvimento da Rússia nas eleições americanas foram atendidas. O Departamento de Justiça escolheu nesta quarta (17) o ex-diretor do FBI Robert Mueller para a função.

Segundo Rod Rosenstein, vice-secretário de Justiça, a decisão "não representa uma constatação de que crimes foram cometidos". Ele justificou a decisão dizendo que, nas atuais circunstâncias, que seriam "únicas", "o interesse público exige que eu ponha a investigação sob a supervisão de uma autoridade independente".

Desde que Donald Trump demitiu o diretor do FBI, James Comey, cresceram as reivindicações da oposição e de setores da mídia para que o inquérito fosse acompanhado por alguém de fora da cadeia de comando, como garantia mínima de que não haveria ingerência indevida.

Mueller atuou como diretor do FBI de 2001 a 2013, sob governos democratas e republicanos. É visto como confiável e apegado às leis. Embora o indicado vá se reportar ao Departamento de Justiça e, em última instância, a Trump, a expectativa é que tenha autonomia para exercer a supervisão do inquérito.

Também nesta quarta, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ofereceu-se para revelar as supostas informações sigilosas sobre a milícia Estado Islâmico que Trump teria compartilhado com ele -conforme revelou reportagem do jornal "Washington Post". O líder russo declarou que não há nada de especial nos dados compartilhados e classificou a notícia de "disparate e lixo".

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber