Facebook Img Logo
Mais lidas
Geral

Conduta de Trump em conversa com russos foi 'apropriada', diz assessor

.

ISABEL FLECK

WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - O conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, H. R. McMaster, disse, nesta terça-feira (16), que o presidente Donald Trump não comprometeu "de forma alguma" qualquer fonte ou método de inteligência durante sua conversa com o chanceler russo, Sergei Lavrov, na última semana.

Em 11 minutos de entrevista a jornalistas, McMaster repetiu dez vezes que a conduta de Trump foi "apropriada" ou "totalmente apropriada", mas se negou a confirmar se o presidente, de fato, revelou informação confidencial a Lavrov e ao embaixador russo, Sergey Kislyak.

Segundo reportagem do "Washington Post" publicada na segunda (15), o presidente teria repassado a eles detalhes altamente confidenciais sobre uma potencial ameaça da milícia terrorista EI (Estado Islâmico), sem a permissão do parceiro americano que entregou os EUA, por meio de um acordo, os dados de inteligência.

McMaster respondeu que "não discute o que é e o que não é confidencial" ao ser questionado especificamente se a revelação dos dados secretos ocorreu no Salão Oval da Casa Branca.

"O que eu digo é que, no contexto daquela discussão, o que o presidente discutiu com o chanceler foi totalmente apropriado para aquela conversa e é consistente com o compartilhamento rotineiro de informações entre o presidente e qualquer líder com o qual esteja comprometido", afirmou.

Diante da possibilidade de que a revelação feita por Trump comprometa a segurança de colaboradores de inteligência, McMaster disse que o presidente não sabia quem era a fonte da informação compartilhada com a Rússia. "O presidente nem sabia de onde essa informação veio. Ele não foi informado sobre a fonte ou o método que nos levaram a ela", declarou.

No entanto, McMaster sugeriu que Trump pode sim ter revelado aos russos a cidade, ocupada pelo EI, de onde partiram as informações de inteligência -uma das principais preocupações dos funcionários que vazaram a denúncia ao jornal.

"Todos vocês sabem o território que o EI controla. Se vocês tivessem que dizer de onde vocês acham que a ameaça veio, entre as cidades que o EI controla, vocês provavelmente seriam capazes de nomear algumas cidades", disse. "Então não é nada que vocês não saberiam."

Pouco antes, Trump havia dito que tem "direito absoluto" de compartilhar informações com a Rússia, sugerindo que pode ter realmente revelado dados confidenciais.

"Como presidente, eu quis compartilhar com a Rússia (em um encontro abertamente marcado na Casa Branca), o que eu tenho todo o direito de fazer, fatos relacionados a terrorismo e segurança em aviões. Razões humanitárias, além disso eu quero que a Rússia intensifique seu combate contra o EI e o terrorismo", afirmou o presidente.

Segundo o "Post", Trump informou a Lavrov e ao embaixador russo "detalhes de uma ameaça terrorista do EI relacionada ao uso de laptops em aviões".

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber