Mais lidas
Geral

Doria viaja, e vereador vira prefeito de SP com eventos em reduto eleitoral

.

LEANDRO MACHADO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Presidente da Câmara Municipal, o vereador Milton Leite (DEM) vai assumir o cargo de prefeito de São Paulo a partir deste sábado (13). Ele vai ficar na cadeira por cinco dias, até a próxima quarta-feira (17).

Isso porque o prefeito João Doria (PSDB) vai viajar para Nova York na noite desta sexta. O primeiro sucessor, o também tucano Bruno Covas, também estará fora do país, em Londres.

Segundo a prefeitura, Doria vai se encontrar com empresários e autoridades americanas, entre eles, Bill de Blasio, atual prefeito de Nova York. Doria volta a São Paulo na quarta.

Nos dois primeiros dias como prefeito, Milton Leite fará dois eventos em bairros do extremo da zona sul, seu reduto eleitoral.

Neste sábado, o prefeito em exercício participará do programa de zeladoria Cidade Linda, em Parelheiros. No domingo, ele vai visitar a região de M'Boi Mirim, dentro de um mutirão de recuperação de calçadas.

Segundo Milton Leite, os dois eventos em seus redutos são coincidência. "Já estavam marcados", disse ele, que faz parte da base de apoio de Doria. É a primeira vez que Leite assume a prefeitura, pois neste ano, em seu sexto mandato, ganhou eleição interna para a presidente da Câmara.

Por telefone, o vereador afirmou ser "uma honra" assumir o cargo de prefeito. "Vou cumprir minha missão constitucional de exercer a prefeitura. É uma honra, mas sei que não sou prefeito", disse.

Ele disse que conversou brevemente com João Doria. "Pelo que entendi, vou assinar vários documentos que estão sobre a mesa. Despachos internos ou externos", afirmou.

O vereador, que atuará na sede da prefeitura no centro da cidade, contou que teve dificuldades burocráticas para conseguir ficar com o mesmo motorista da Câmara. "Tive que fazer um ofício, mandar para lá. Que saco, mas fazer o quê?", ri.

HISTÓRICO

Ligado a empresários de transporte que operam nos extremos da cidade, Milton Leite se autodefine como defensor das antigas cooperativas de perueiros, atualmente nas mãos de empresários.

Essa aproximação fez com que o Ministério Público paulista abrisse, em 2006, uma investigação para apurar elo entre o vereador e cooperativas de transporte. O caso, porém, foi arquivado.

Além disso, o vereador tem forte influência nas discussões sobre os projetos de ocupação do solo da cidade. Durante a lei de zoneamento, ele foi à tribuna para questionar mudanças que permitiriam mais construções em áreas verdes da zona sul.

Leite também se aproximou dos sambistas da cidade. Chegou a retirar uma área de um centro cultural da cidade para construir um novo espaço na escola de samba Estrela do Terceiro Milênio, espaço que frequenta na zona sul. A obra, que ficou conhecido como "Camarote Milton Leite", custou R$ 100 mil aos cofres municipais.

Seu crescimento político de 1996 (quando foi eleito com 33 mil votos) para cá garantiu a eleição de seus dois filhos para cargos eletivos, também pelo partido do pai. Milton Leite Filho se elegeu deputado estadual em 2006 e foi reeleito nas duas disputas seguintes. Já Alexandre Leite se reelegeu deputado federal em 2014.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber