Facebook Img Logo
Mais lidas
Geral

Após demissão, Trump alerta ex-chefe do FBI contra vazamentos

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertou nesta sexta-feira (12) o ex-diretor do FBI (polícia federal americana), James Comey, contra vazamentos de informações confidenciais.

Comey, que comandava uma investigação sobre o suposto conluio entre assessores do republicano e autoridades russas durante a campanha eleitoral, foi demitido nesta semana de maneira abrupta.

"É melhor James Comey torcer para que não haja 'gravações' de nossas conversas antes que ele comece a fazer vazamentos para a imprensa!", disse Trump em um canal oficial. Em ocasiões anteriores, o presidente citou conversas que teve com Comey e afirmou que o então diretor do FBI havia lhe garantido que ele não alvo direto das investigações.

A demissão de Comey na terça-feira (9), ocorrida poucas horas depois de o FBI corrigir declarações de seu então diretor sobre um caso envolvendo a ex-secretária de Estado Hillary Clinton, provocou uma crise institucional em Washington.

A oposição democrata e até mesmo alguns congressistas republicanos consideram que a decisão de demitir Comey representa um "abuso de autoridade" do presidente e que foi uma tentativa de abafar as investigações do FBI sobre os contatos entre a equipe de campanha de Trump e a Rússia.

Desde o início da crise, o governo Trump tem apresentado justificativas contraditórias para a demissão no FBI. Enquanto a Casa Branca sustentou que a decisão nada tem a ver com o inquérito sobre a Rússia, o presidente disse em entrevista à rede NBC na quinta (11) que levou em consideração "esta história inventada" sobre a Rússia.

"De novo, a história de que houve conluio entre russos e a campanha de Trump foi forjada pelos democratas como desculpa por terem perdido a eleição", reafirmou o republicano nesta sexta (12).

Trump também se defendeu das críticas sobre a confusão na narrativa oficial sobre o episódio.

"Sendo um presidente muito ativo e com muitas coisas acontecendo, não é possível que meus subordinados apareçam no púlpito com precisão perfeita", afirmou o republicano. "Talvez o melhor saída seria cancelar todas as 'entrevistas coletivas' futuras e entregar respostas por escrito para primar pela precisão?"

As supostas relações entre auxiliares de Trump e autoridades da Rússia, alvo de investigações no FBI e no Congresso, provocaram turbulências nos primeiros meses do governo do republicano.

Em fevereiro, Trump demitiu o então conselheiro de Segurança Nacional, Michael Flynn, por ele ter mentido a seus superiores sobre contatos com o embaixador da Rússia em Washington. No mês seguinte, o secretário de Justiça, Jeff Sessions, anunciou seu afastamento das investigações do departamento que chefia sobre a Rússia devido a indícios de que ele havia mantido contato com autoridades do país durante a campanha eleitoral.

JAMES COMEY - CONTROVÉRSIAS

set.16

FBI inicia investigação sobre o ex-deputado Anthony Weiner, marido de Huma Abedin, importante assessora de Hillary Clinton. Weiner é acusado de trocar mensagens eróticas com uma adolescente

28.out

A 11 dias da eleição, o órgão anuncia uma nova apuração sobre o uso de um servidor de e-mails privado por Hillary no período em que ela foi secretária de Estado (2009-2013). A reabertura estaria relacionada ao caso Weiner

8.nov

Trump vence a eleição. Dois dias antes, Comey havia anunciado que não processaria Hillary

23.MARC.17

Comey confirma investigação do FBI sobre contatos entre a equipe de campanha de Trump e o governo russo

2.mai

Hillary responsabiliza Comey, assim como hackers russos, por sua derrota na eleição

3.mai

O então diretor do FBI depõe no Congresso e diz que "centenas de milhares" de e-mails encaminhados por Huma Abedin foram achados no computador de Weiner

9.mai

- FBI desmente a declaração de Comey e afirma que apenas um pequeno número de e-mails de Abedin foram encontrados no computador de Weiner

- Trump demite Comey após recomendação do secretário de Justiça, Jeff Sessions

10.mai

Imprensa americana afirma que, dias antes de ser demitido, Comey pedira mais recursos para investigar os laços da campanha de Trump com Moscou; o Departamento de Justiça nega que isso tenha ocorrido

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber