Mais lidas
Geral

Rio espera vacinar 1,4 mi de pessoas no Dia D de vacinação contra a gripe

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A prefeitura do Rio de Janeiro espera vacinar no próximo sábado (13) cerca de 1,4 milhão de pessoas, no dia D de mobilização da campanha de vacinação contra a gripe, o equivalente a 90% da população alvo. As informações são da Secretaria Municipal de Saúde. Nestas três semanas do início da campanha, já foram vacinadas em torno de 407 mil pessoas que fazem parte da população alvo, o que representa pouco mais de 25% do público indicado, “um número ainda baixo diante da meta”, na avaliação da própria secretaria. As informações são da Agência Brasil.

A vacina contra a gripe já está disponível nas unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas.

Além das unidades de Atenção Primária haverá postos de vacinação espalhados por toda a cidade, para facilitar o acesso dos pacientes. A população alvo da campanha é formada por idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a 4 anos, trabalhadores de saúde, gestantes e mulheres até 45 dias após o parto, que são os grupos mais vulneráveis aos quadros graves e complicações da doença.

Além dos grupos considerados prioritários, também estão sendo vacinados doentes crônicos, mediante apresentação de prescrição do médico que acompanha o paciente -além de professores dos ensinos básico, médio e superior, das redes pública ou privada, que deverão apresentar comprovação da atividade profissional (contracheque, declaração, carteira funcional)- e presos e funcionários do sistema prisional. Mais de 60 mil pessoas com essas condições também já foram vacinadas.

A campanha vai até o dia 26 de maio, mas a secretaria entende ser importante que a população alvo não deixe para se vacinar nos últimos dias, quando normalmente as filas e o tempo de espera são maiores. A vacinação tem por objetivo reduzir as internações, complicações e mortes em decorrência das infecções pelo vírus da doença e é aplicada às vésperas do inverno, período de maior incidência da doença.

A Secretaria de Saúde lembra, ainda, que “há estudos que demonstram que a vacina contra a gripe pode reduzir de 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% da mortalidade global e em, aproximadamente, 50% as doenças relacionadas à influenza.”

No caso de pessoas que tenham apresentado febre recente, a recomendação é adiar a vacinação até que o estado de saúde melhore. Já pessoas com doenças neurológicas e síndrome Guillain-Barré devem consultar um médico antes de tomar a vacina. A vacina deve ser evitada para pessoas com histórico de alergia grave e prévia a ovo ou a algum outro componente da vacina.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber