Mais lidas
Geral

Mulher de Macron foi professora da escola onde ele estudou

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Quando tinha 15 anos, Emmanuel Macron, 39, encontrou na sua escola de ensino médio em Amiens, no norte da França, aquela com quem se casaria em 2007.

Melhor aluno de sua turma, o hoje candidato à Presidência cruzava pelos corredores de sua escola católica com Brigitte Trogneux, professora de francês e 24 anos mais velha que o aluno.

Casada com o banqueiro André Louis Auzière, ela já tinha seus três filhos, pouco mais novos que Macron e seus alunos da escola.

Brigitte ouvia comentários dos colegas sobre o "pequeno gênio" Emmanuel e se aproximou do adolescente para sugerir que ele participasse de aulas de teatro.

O jovem talentoso e inteligente a seduzia nos palcos, e ela se apaixonava de forma recíproca. "Ele mexia muito comigo", disse Brigitte, à revista "Paris Match".

Segundo colegas de classe de Macron, ela o elogiava em excesso e chegava a ler poemas dele nas aulas. A proximidade dos dois, porém, virou um escândalo, embora não seja pedofilia na França a relação consentida entre um adulto e um adolescente com mais de 15 anos.

Os pais do adolescente, que eram contra a relação, enviam o filho para estudar em Paris e Brigitte deixa a escola, que era dirigida pela avó de seu amor platônico.

"Independente do que você faça, eu vou me casar com você", teria dito Emmanuel antes de se separar de Brigitte, segundo a imprensa local.

O quase caso com o adolescente levou ao fim do casamento de Brigitte. Os dois se reencontrariam três anos depois, quando ela se mudou para a capital francesa e ele já estava na universidade.

Eles namorariam até 2007, quando se casam oficialmente. Apesar disso, os dois evitavam aparecer juntos em público, até que ele virou ministro de François Hollande.

Em 2015, um ano após assumir o cargo, Macron foi com Brigitte a um jantar com o rei espanhol, Filipe 6º, e sua mulher, Leticia.

Filha de uma família de empresários de chocolates, Brigitte, 64, prefere preservar sua vida pessoal e não gosta de dar entrevistas. O casal, porém, não se incomoda em ilustrar páginas de revistas de celebridades.

No tempo livre, o casal se refugia em Touquet, no noroeste da França, onde o ministro tem uma casa há mais de 15 anos e onde celebrou seu casamento.

A campanha eleitoral parece não abalar a relação dos dois. Depois da divulgação dos resultados do primeiro turno, em seu discurso, Macron homenageou a mulher. "Sempre presente, e agora ainda mais. Sem ela, eu não seria quem eu sou."

Se confirmado o prognóstico para o segundo turno, Brigitte e Emmanuel levarão sua história de amor para Palácio do Eliseu em maio.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber