Mais lidas
Geral

Premiê espanhol defende que se devolva a palavra aos venezuelanos

.

GUSTAVO URIBE

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente do governo da Espanha, Mariano Rajoy, defendeu nesta segunda-feira (24) a necessidade de se encontrar uma solução para a crise política na Venezuela.

Segundo ele, a situação no país latino-americano "preocupa profundamente" e há a necessidade de que se devolva a palavra à população venezuelana, que deve ser a única beneficiária direta do processo político.

"A situação no país irmão nos preocupa profundamente. Coincidimos na opinião da necessidade de uma solução pactada, que tenha de passar inevitavelmente por devolver a palavra ao povo venezuelano, beneficiário da soberania nacional", disse.

Em viagem ao Brasil, o premiê espanhol se reuniu nesta segunda-feira (24) com o presidente Michel Temer para discutir o aprofundamento da relação bilateral entre os dois países.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, tem enfrentado crises política e econômica e protestos que já deixaram vinte mortos.

Em entrevista, na semana passada, Temer defendeu eleições diretas na Venezuela e disse que, sem elas, o país perderá as "condições de convivência" no Mercosul.

No pronunciamento no Palácio do Planalto, Rajoy criticou o que chamou de "tentação" de alguns líderes mundiais por políticas comerciais de protecionismo e defendeu que seja concluído o acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul.

"Ambos estamos convencido da necessidade de avançar na relação entre Mercosul e a União Europeia. A Espanha sempre foi e continuará sendo um defensor de acordo entre os dois blocos comerciais", disse. "Nesses momentos em que alguns sentem tentações protecionistas, ambos concordamos com a importância da abertura exterior", acrescentou.

O premiê espanhol elogiou ainda as reformas nas contas públicas realizadas pelo governo brasileiro e afirmou que elas são recompensadas em "médio prazo". Segundo ele, a gestão inteligente das contas públicas é a "chave para que nossas sociedades possam prosperar".

" Eu felicitei o presidente pelas reformas que empreendeu. Transmiti minha convicção de que, a médio prazo, a seriedade em questão de assuntos públicos sempre é recompensada", disse.

Em discurso, Temer lembrou que o governo espanhol também enfrentou resistências e protestos ao implementar políticas amargas, como cortes de gastos e salários.

"A Espanha e o Brasil viveram momentos semelhantes. Eles enfrentaram dificuldades naturais e objeções, mas as mudanças fizeram a Espanha renascer de maneira extraordinária", disse.

Os dois presidentes assinaram acordos de cooperação nas áreas da indústria, saneamento e comércio.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber