Mais lidas
Geral

Após demitir Soninha, Doria nega mal-estar e faz elogio à ex-funcionária

.

GIULIANA MIRANDA

LISBOA, PORTUGAL (FOLHAPRESS) - Em passagem relâmpago por Lisboa, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), negou qualquer mal-estar com a agora ex-secretária de Assistência Social Soninha Francine (PPS).

Apesar das declarações de Soninha de que foi demitida, Doria reafirmou que a saída foi acertada em comum acordo. "Se ela não tivesse concordado [em sair], não teria porque ela ficar e gravar o vídeo comigo", disse o prefeito.

"Tenho admiração, respeito e carinho pela Soninha. Por isso, fizemos [o anúncio da saída] de forma absolutamente transparente, não foi por nota nem nada", completou.

Doria fez vários elogios à vereadora, destacando sua "capacidade de acolhimento". "A Sonia fez o que pode fazer. É uma boa pessoa, tem uma alma boa. Tem uma capacidade de acolhimento. E essa capacidade é que nós vamos seguir usando na secretaria."

"No resto, nós vamos seguir nosso trabalho. Temos 20 mil pessoas em situação de rua. Precisamos acolhê-las, dar oportunidade de vida", afirmou o tucano, sobre o futuro da pasta.

BATE-VOLTA

Doria esteve na capital portuguesa por cerca de quatro horas. Ele começou o dia em Roma, onde se reuniu com o papa Francisco, e voou logo em seguida, em seu jatinho particular, para Lisboa.

O tucano viu pouco da cidade: foi do aeroporto direto para a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, onde foi um dos palestrantes do 5º Seminário Luso-Brasileiro de Direito, organizado pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes.

Doria foi recebido na universidade com status de celebridade, tanto entre os alunos quanto entre os participantes do encontro. Sua intervenção era focada na questão da saúde pública em São Paulo, e o prefeito destacou o programa Corujão da Saúde, que usou o período noturno para acelerar a realização de exames de pacientes da rede pública.

"São Paulo tem 12 milhões de habitantes, é uma cidade-país. Seus principais problemas são saúde, saúde e saúde. Não os únicos, mas os principais. Atinge a população mais pobre e mais humilde da cidade, mesmo SP sendo uma cidade mais vigorosa, é a terceira maior capital do mundo. É a população de uma cidade europeia, quase meio milhão de pessoas esperando por exames. Não sou médico, advogado ou engenheiro, mas sou gestor e me orgulho muito dessa função", disse.

O prefeito paulista aproveitou para ressaltar seus bons resultados nas pesquisas de aprovação de sua gestão.

Antes de encerrar, Doria disse que pretende lançar em breve, entre "15 e 30 de maio", um novo programa: o Corujão das Cirurgias, para acelerar a fila de pessoas à espera de alguns procedimentos cirúrgicos.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber