Mais lidas
Geral

ATUALIZADA - Polícia e usuários de drogas entram em confronto na cracolândia, em SP

.

LEANDRO MACHADO, DANILO VERPA E EMILIO SANT'ANNA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Policiais militares e usuários de drogas entraram em conflito na tarde desta quinta-feira (23) na região da cracolândia, na Luz, centro de São Paulo. Cerca de 300 pessoas se aglomeraram e começaram a atear fogo em lixos e a arremessar pedras e outros objetos contra a PM, que respondeu com bombas e balas de borracha.

Segundo nota da Secretaria de Segurança Pública, policiais do patrulhamento de área realizaram uma abordagem na rua Helvétia com a rua Dino Bueno, na região, quando o grupo de pessoas respondeu com depredação e fogo nas ruas. A ação policial acontecia fora do fluxo de tráfico de drogas, de acordo com a pasta.

Policiais agiram para tentar cercar os usuários de drogas. Atirou balas de borracha e bombas de efeito moral para contê-los e montou um cerco entre a rua Helvétia e a alameda Barão de Piracicaba. E foi solicitado apoio da Força Tática e da GCM.

Barricadas foram montadas pelos usuários para impedir o avanço da polícia. Eles também incendiaram objetos para dificultar a abordagem policial. Às 13h30, após um pequeno intervalo, a situação se tornou mais tensa, com bombas jogadas pela polícia nos usuários de droga.

Um fotógrafo que fazia freelance para a agência Código 19, Dário Oliveira, foi ferido no local e levado para a Santa Casa de São Paulo. Segundo boletim médico da instituição, ele tem ferimento por projétil de arma de fogo (com munição letal) e quadro estável, está realizando exames e não tem previsão de alta.

Além dele, o fotógrafo Marcelo Chello, freelancer da Framephoto, levou um tiro na perna próximo à coxa direita. A bala atravessou a calça e o celular, no bolso, ficou destruído, mas impediu que ele se ferisse.

Seis policiais, entre integrantes do Corpo de Bombeiros e do policiamento local, também ficaram feridos, segundo a Secretaria da Segurança Pública.

e acordo com uma moradora do local, o conflito teria começado após uma briga entre dois usuários de drogas, que acabaram agredindo um bombeiro. "A polícia fechou tudo e começou a jogar bombas no meio das pessoas que não tinham nada a ver com isso", disse. "O fluxo todo se levantou e foi pra cima."

Equipes do Corpo de Bombeiros foram ao local, e o helicóptero Águia, da PM, também acompanharam a situação.

A Secretaria de Direitos Humanos da gestão Doria afirmou que está apurando denúncias de violações de direitos durante a ação policial. Em nota, a pasta diz que funcionários estiveram no local e constataram que policiais militares disparam bombas dentro da tenda do programa Braços Abertos.

A secretária municipal de Desenvolvimento Social, Soninha Francine, criticou a ação da Polícia Militar em sua conta em uma rede social.

"Inadmissível a polícia tacar bombas dentro da Tenda Helvetia. Seja qual for o fato que motivou a entrada da PM, a ação em si foi absurda", afirmou a secretária do prefeito João Doria (PSDB).

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber