Mais lidas
Geral

Dez dicas de segurança para quem não quer ser furtado no Carnaval

.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - É sabido que existe uma indústria de furtos de celulares e carteiras em grandes eventos. Não se engane, no bloco que você curtirá provavelmente haverá algum gatuno à espreita para furtar aquele smartphone potente ou seu estoque de cartões de crédito.

Fique atento para as dez dicas a seguir que podem evitar que você seja mais uma vítima durante a folia.

1. Volta, tijolão!

Sabe aquele celular guardado na gaveta há vários anos? Aquele mesmo, do jogo da cobrinha? Então, pode ser a hora de ressuscita-lo. Alguns foliões abrem mão das selfies e do whatsapp para curtirem sem medo de perder aquele aparelho que você parcelou em dez vezes e ainda nem terminou de pagar.

2. #vaiterdoleira

A doleira não é apenas uma pochete achatada que a gente leva para viagens ao exterior. Ela tem grande serventia no carnaval. Separe documentos, cartões, identidade e celular e coloque na doleira na parte de dentro da roupa. Deixe bolsos e bolsas livres para purpurina, confetes e objetos de baixo valor.

3. Doleira subaquática

A dica da doleira pode não ser a melhor caso você esteja em um bloco com caminhão pipa que te deixe ensopado (e refrescado). A dica é que você mantenha seus pertences na doleira, mas coloque-os dentro de um saco do tipo ziplock. Ai, quando vires uma mangueira molhando o pessoal, estarás despreocupado. Se joga!

4. Evite aglomerações É um paradoxo pedir que você evite aglomerações no Carnaval. Afinal o que é a folia de rua senão milhares de pessoas se espremendo em clima ébrio? Mas, geralmente, quando a multidão afunila, ao passar em uma passagem estreia, é o momento em que os gatunos agem. Fique atento quando sentir que irá rolar aquele momento "fila do Maracanã" no bloco. Coloque suas mãos no bolso e proteja a sua carteira. Obs: a doleira elimina qualquer tipo de preocupação nesse sentido.

5. Na falta da doleira, carteira na cueca/calcinha ou correlatos

Se você não tiver uma doleira, vale também a técnica milenar muito usada em cidades violentas: carteira e celular convenientemente alojados nas roupas de baixo.

6. Rainha da selfie ou princesa offline?

Aos tarados por selfie, um alerta: vocês são os mais visados dos gatunos. Concentre-se em curtir a vida real com seus amigos e deixe as selfies de lado. O plus é você não correr o risco de tirar foto daquele boy zero magia que você pegou em momento de consciência dúbia.

7. Fantasia de garçom é furada

Muitos foliões lançam mão desse clássico da fantasia improvisada. É fácil de compor: uma gravata borboleta e uma bandeja dão conta do recado. Mas é ai que mora o perigo: com as mãos ocupadas, você é alvo fácil dos espertos.

8. Beba com moderação

Segundo estatísticas nunca comprovadas, nove entre dez pessoas furtadas estavam completamente bêbadas, alheias à aproximação dos criminosos. Muitas vezes, a pessoa nem é alvo de meliantes, mas acaba esquecendo o celular num banco de praça ou táxi. A dica reduz também suas chances de vacilar e deixar seu celular cair no chão e rachar a tela. Ou seja, as chances de vacilar aumentam proporcionalmente ao seu nível alcoólico.

9. Estude seu roteiro

Faça uma pesquisa prévia sobre o local do bloco que você irá curtir. Pesquise a melhor forma de chegar e sair do local. Isso evita que você se encontre sozinho e ruas e becos inseguros.

10. Não reaja!

Se por acaso você seja furtado, não banque o valentão. Geralmente os gatunos andam em bandos, disfarçados no meio da multidão. Eles costumam passar o celular furtado para um segundo comparsa que some em meio aos foliões. Se por acaso você identificar o autor, tente buscar ajuda com policias que estejam próximos.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber