Mais lidas
Geral

Após fogo em turbina de avião, Congonhas tem fila de seis horas

.

MARTHA ALVES

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Funcionários de empresas aéreas gritando números de voos, falta de informação e passageiros cansados com malas esperando em uma fila quilométrica para conseguir remarcar a viagem.

Esta foi a cena que a reportagem da Folha de S.Paulo flagrou na madrugada desta quinta-feira (23) no aeroporto de Congonhas, zona sul de São Paulo, após a turbina de um avião da Latam pegar fogo antes de decolar.

O aeroporto, que deveria ter fechado para pousos e decolagens às 23h, estendeu o horário até 23h45, de acordo com funcionários da Infraero. No entanto, o atendimento a passageiros que tentavam remarcar voos funcionou durante toda a madrugada.

Segundo passageiros, a espera entre pegar as malas na esteira do desembarque e ser atendido para remarcar o voo passava de seis horas. Algumas pessoas nervosas gritavam ao telefone com atendentes das companhias aéreas exigindo um voo, mas sem deixar a fila.

A arquiteta Anna Hentoux, 28, voltava do Rio de Janeiro e deveria ter pego um voo da Latam para Porto Alegre, onde mora, na hora do problema na pista. Ela disse que o avião foi desviado para Viracopos e só conseguiu chegar em Congonhas em novo voo às 22h45.

Por volta da 0h, Anna reclamava que nenhum funcionário da empresa aérea passou informações aos passageiros. " Só peguei a minha mala agora, estava um caos e ninguém sabia onde estava", disse sobre as esteiras de retirada das malas no desembarque.

A arquiteta, que deveria entrar às 9h no trabalho, disse que queria "simplesmente" remarcar o voo e dependendo do horário pedir estadia em algum hotel. "Com certeza não chego em Porto Alegre antes do meio dia", falou, desanimada.

A representante têxtil Eloisa Drapzinski, 24, que viajava a trabalho, falou que o voo que deveria ter decolado de Goiânia às 20h saiu com meia hora de atraso devido ao problema na pista em Congonhas.

"Cheguei às 22h em Congonhas e não tinha nenhuma informação do meu voo da Latam para o aeroporto de Navegantes (SC). Nenhum funcionário me procurou para dar informações", reclama.

Outro problema enfrentado pela passageira foi a espera de duas horas no desembarque para conseguir pegar a bagagem por volta 0h. Segundo Eloisa, um funcionário do aeroporto ficava ao lado das esteiras gritando os números dos voos para elas retirarem as bagagens.

"Agora essa fila enorme para tentar remarcar o voo. Tinha um cliente para atender às 8h30 em Blumenau e já avisei a empresa que não vou conseguir chegar a tempo", falou Eloisa.

Por volta das 2h30, passageiros irritados começaram a gritar no balcão da Latam exigindo vagas em hotéis para um grande grupo que ainda esperava para tentar fazer a remarcar a passagem.

Em coro eles gritavam: "hotel, hotel", estamos em São Paulo tem hotel sim", "desrespeito".

Longe do balcão de check-in, passageiros dormiam nos bancos do aeroporto a espera do voo.

FALTA DE INFORMAÇÕES

A estudante Mariana Marques, 26, que morra no bairro do Butantã, zona oeste de São Paulo, era uma das dezenas de pessoas que reclamavam da falta de informações e da longa espera em uma fila imensa para conseguir remarcar o voo para Palmas.

A estudante conseguiu embarcar, mas o voo programado para as 22h40, mais de uma hora e meia depois do horário previsto, foi cancelado quando todos os passageiros estavam no avião.

"O avião estava lotado e todos com o cinto. Quando iam fechar a porta do avião o comandante avisou que infelizmente não seria possível seguir viagem porque nenhum voo poderia decolar depois das 23h. ", falou.

Todos os passageiros desembarcaram e foram tentar pegar as malas, mas 15 minutos depois foram chamados para novo embarque que não ocorreu. Após 40 minutos de espera, ela conseguiu pegar a mala.

Por volta da 1h, ela esperava na fila para tentar remarcar a passagem, pois será madrinha de formatura de um amigo na noite desta quinta. "Não saio daqui sem tentar pegar o primeiro voo para Palmas, não posso perder a formatura, mas já sei que todos estão lotados", disse, lamentando.

Funcionários de companhias aéreas, que pediram para não serem identificados, reclamavam do excesso de horas trabalhados. " Deveria ter saído às 20h, olha a hora", disse olhando para o relógio que marcava 2h.

OUTRO LADO

Em nota, a Latam Airlines Brasil informou que devido ao fechamento do aeroporto de Congonhas na noite desta quarta (22) todos os voos e conexões foram impactados.

Com isso, a empresa aérea oferece a remarcação dos voos para 15 dias após a data original sem cobrança de multa. Também há a opção de pedir o reembolso do bilhete não utilizado.

No entanto, o passageiro que quiser alterar a rota original de voo terá que pagar as diferenças tarifárias e respeitar a validade do bilhete.

Segunda a Latam, as alterações podem ser feitas pelo site www.latam.com, pela central de atendimento da empresa no telefone 4002-5700 ou em uma das lojas.

A Gol Linhas Aéreas informou que todos os clientes foram reacomodados nos próximos voos. Segundo a companhia, por volta das 4h, a operação estava normalizada no aeroporto e os passageiros, que não conseguiram embarcar, seguem viagem na manhã de quinta-feira (23).

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber