Geral

Em três dias, metrô tem falhas, descarrilamento e até cão nos trilhos

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os passageiros do metrô paulista enfrentaram uma série de problemas no sistema durante a semana: houve descarrilamento, quebras de carros, lentidão e até um cachorro nos trilhos -tudo isso nos últimos três dias.

A cada ano o número de falhas e atrasos nas linhas 1-azul, 2-verde, 3-vermelha e 5-lilás tem aumentado, assim como as reclamações dos passageiros. Nas redes sociais, os paulistanos criticam a falta de respeito do Metrô na demora em avisar sobre os problemas das linhas, além da lotação das composições.

Na manhã desta quinta-feira (9), os passageiros reclamaram da lentidão e da demora no embarque nas linhas 5-lilás e 2-verde. Na linha 5-lilás, o Metrô restringiu o acesso à estação Capão Redondo por volta das 7h40 devido ao "fluxo muito forte de usuários".

A companhia informou que não houve nenhuma falha, mas que a estação estava com um volume de passageiros acima do normal e, por isso, teve que fazer controle de entrada nas catracas para que a plataforma não ficasse lotada. Ao todo, cerca de 300 mil pessoas circulam por dia na linha 5-lilás.

A restrição gerou várias reclamações dos usuários, como a da passageira Ana: "Estação Capão Redondo totalmente lotada e metrô não passando... E ninguém fala nada?", comentou em sua conta no Twitter.

Já na linha 2-verde, o problema desta quinta foi a quebra de um carro de manutenção durante a madrugada entre as estações Consolação e Ana Rosa. O Metrô informou que houve um problema mecânico no carro por volta das 4h40, mas que foi corrigido depois de uma hora.

Durante esse intervalo de tempo, as composições transitavam por uma única via, elevando o intervalo de paradas entre as estações. Mesmo após a retirada do carro de manutenção e a normalização do sistema, os usuários reclamavam de lentidão nas primeiras horas da manhã.

O Paese (Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência) chegou a ser acionado com 15 ônibus para reforçar o atendimento aos passageiros do trecho pela avenida Paulista.

CACHORRO E DESCARRILAMENTO

Já os usuários da linha 1-azul e 3-vermelha tiveram problemas durante dois dias seguidos: na terça (7) e nesta quarta (8). Na manhã de terça, um problema operacional na linha 1-azul reduziu a velocidade das composições por volta das 5h. O problema foi solucionado depois de 20 minutos, mas a completa normalização do sistema levou mais tempo.

Já o problema na linha 3-vermelha foi um descarrilamento, que interrompeu a circulação de trens entre as estações Arthur Alvim e Corinthians-Itaquera. As duas estações da zona leste foram fechadas e reabertas somente nesta quarta. A linha é a mais movimentada do metrô -transporta mais de 1,2 milhão de passageiros todos os dias.

O acidente aconteceu por volta das 15h de terça, quando a composição se aproximava da estação Itaquera. Ao sair do trilho, um dos vagões atingiu e destruiu as grades de uma passarela de proteção. Os passageiros tiveram de desembarcar nessa passarela, e uma mulher ficou ferida levemente no pulso. Passageiros relataram esperas de mais de uma hora para embarcar nos ônibus na estação Patriarca.

CACHORRO NOS TRILHOS

Na manhã desta quarta (8), um cachorro foi visto pelos funcionários do Metrô circulando no trecho entre as estações Armênia e Paraíso da linha 1-azul. Na tentativa de retirar o cão, a companhia restringiu a velocidade das linhas 1-azul e 3-vermelha a partir das 7h30 -horário de grande volume de passageiros, principalmente na linha vermelha.

Todas as estações da linha 1-azul tiveram restrições nas catracas para evitar acúmulo de passageiros nas plataformas, o que causou enormes filas nas entradas das estações. O Metrô informou que não sabe como o cachorro entrou e foi parar na via férrea.

Os funcionários também não conseguiram localizar o animal. Depois de algum tempo, o cachorro não foi mais visto no sistema e companhia normalizou a velocidade nas linhas 1-azul e 3-vermelha por volta das 8h15 e 8h40, respectivamente.

Os usuários da linha 3-vermelha ainda tiveram que enfrentar uma nova lentidão do sistema no final da tarde desta quarta. Por volta das 18h, horário de pico do metrô, a companhia reduziu a velocidade da linha devido à presença de um usuário na via -o que acarretou em plataformas lotadas.