Geral

Haiti empossa novo presidente após um ano e meio de crise política

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O empresário Jovenel Moïse tomou posse nesta terça-feira (7) como presidente do Haiti, após uma crise eleitoral que paralisou a vida política do país por um ano e meio.

Moïse, 48, entrou para a política em 2015 indicado por Michel Martelly, eleito presidente em 2011. Martelly queria fazer deste empresário do setor de produção de bananas, apelidado de "homem-banana" durante a campanha, o seu sucessor.

Jovenel Moïse venceu o primeiro turno da eleição presidencial em outubro de 2015. Mas por causa de protestos e fraudes, a votação foi cancelada.

O empresário, que pretende relançar, pela agricultura, a economia haitiana, finalmente foi confirmado presidente em novembro de 2016, em que votação foi adiada após a passagem do furacão Matthew.

Após o fim do mandato de Martelly, em 7 de fevereiro de 2016, por falta de sucessor eleito em tempo, o Parlamento escolheu Jocelerme Privert, então presidente do Senado, para ocupar o cargo interinamente.

Nesta terça-feira, Privert entregou a faixa presidencial ao presidente da Assembleia Nacional, que em seguida a passou para Moïse.

Com um ano de atraso, o Haiti, cuja história é marcada por uma tradição de instabilidade política, retorna à ordem constitucional tendo um presidente eleito por sufrágio universal.