Geral

ebelião em presídio deixa ao menos 27 mortos, diz governo do RN

.

FRANCISCO COSTA E ESTELITA HASS CARAZZAI

NATAL, RN E CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - Pelo menos 27 presos morreram durante a rebelião que aconteceu neste sábado (14) na Penitenciária de Alcaçuz, na região metropolitana de Natal (RN). A informação é do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) do Rio Grande do Norte.

Sem saber direito quantos corpos vai encontrar, o governo alugou um caminhão-frigorífico para transportar e abrigar as vítimas do massacre.

Os corpos continuam dentro do presídio 24 horas depois do conflito, que começou no fim da tarde de sábado e foi controlado por volta das 8h (horário de Brasília) deste domingo (15), de acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública.

Há relatos de corpos decapitados e mutilados –o que deve dificultar o trabalho.

Durante a tarde, som de bombas de efeito moral foram ouvidos do lado de fora da penitenciária. Presos gritaram dizendo que estavam sem água.

Em frente, mulheres dizem que vão dormir na porta do presídio até o governo forneça informações mais completas sobre quantos estão vivos e mortos.

"É uma situação triste. A gente não esperava. Ficamos sem saber quem morreu", diz Marinês Conceição que espera informações do marido que está no pavilhão 2.

Esposas ligadas ao PCC e ao Sindicato do Crime, facções envolvidas no motim, dizem ter armas e ameaçam confronto entre rivais na área externa do presídio.