Geral

Mulher grávida é primeiro caso confirmado de zika em São Paulo

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Secretaria Municipal de Saúde confirmou, nesta sexta (4), o primeiro caso autóctone (contraído na própria cidade) de zika na cidade de São Paulo.
A paciente é uma mulher de 28 anos, moradora da Freguesia do Ó (zona norte), que está grávida de 30 semanas.
A notificação foi feita no último dia 3 de fevereiro, diz a prefeitura, por um serviço municipal. Segundo a nota, a mulher começou a apresentar os primeiros sintomas no dia 30 de janeiro.
Também segundo o comunicado, o feto apresentou normalidade no desenvolvimento, segundo ultrassom morfológico realizado. A paciente foi encaminhada para o hospital escola Vila Nova Cachoeirinha, onde será dada continuidade ao pré-natal.
O Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) comunicou o resultado positivo para zika no dia 25 de fevereiro - as amostras de sangue e urina haviam sido colhidas no dia 3, após testes darem negativo para dengue.
Uma nova coleta de sangue foi realizada no dia 26 para confirmar o primeiro diagnóstico e afastar outras hipóteses. "O material foi encaminhado para o Instituto Adolfo Lutz, que confirmou novamente a positividade", disse a prefeitura.
Segundo a nota, no dia 11 de fevereiro, agentes visitaram o imóvel onde mora a paciente, entre outros na região - 103, no total -, para busca e bloqueio dos criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor do zika e outras doenças, como dengue e chikungunya.
Após a confirmação do diagnóstico, outros 115 imóveis na região foram visitados. "Os agentes também realizaram o bloqueio de nebulização no quarteirão da paciente nos dias 26 e 27 de fevereiro", disse a prefeitura.