Geral

Brasileiro é suspeito matar enteado em Portugal

.

GIULIANA MIRANDA
LISBOA, PORTUGAL (FOLHAPRESS) - Um brasileiro morador de Portugal é suspeito de assassinar o enteado de 15 anos e, em seguida, fugir para o Brasil. O crime tem tido destaque na mídia portuguesa.
O corpo do estudante Rodrigo Lapa, 15, foi encontrado com sinais de tortura em um matagal próximo à casa em que vivia com a família em Portimão, no Algarve, região sul de Portugal.
A mãe do jovem denunciou o desaparecimento do filho à polícia em 22 de fevereiro. No mesmo dia, o companheiro dela, o brasileiro naturalizado português Joaquim de Lara Pinto, 42, viajou ao Brasil.
Contradições no depoimento da mãe e um histórico de violência familiar e desentendimentos levantaram as suspeitas de que o brasileiro seja o autor do crime.
Célia Barreto, mãe do adolescente, afirmou à polícia e a jornalistas que o relacionamento entre Joaquim Pinto e o filho era cordial.
No entanto, colegas de escola da vítima, familiares e até vizinhos contestaram publicamente essa versão.
Segundo a imprensa portuguesa, a mulher já teria admitido à polícia que viu o companheiro agredir o filho no dia do desaparecimento.
O suspeito não tem advogado em Portugal. A reportagem tentou contato ele por meio de mensagens eletrônicas, mas ele não respondeu.
Rodrigo vivia com a mãe, o padrasto e a filha dos dois, de seis meses.
COMOÇÃO
O crime teve grande repercussão nas redes sociais, inclusive com comentários de cunho racista e xenofóbico em relação à imigração. Os brasileiros são a maior comunidade estrangeira no país.
Os portugueses têm chamado a atenção para alta chance de impunidade desse caso, uma vez que o Brasil, como a maioria dos países, não extradita seus cidadãos.
"Isso não significa que os casos não sejam investigados", explica o advogado e pesquisador jurídico Luiz Guilherme Rorato Decaro. A Polícia Federal afirmou que não foi informada oficialmente do caso.