Geral

Oposição já se prepara contra plano de Obama para fechar Guantánamo

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da Câmara dos EUA, o republicano Paul Ryan, disse nesta quarta-feira (24) que parlamentares do seu partido já estão tomando medidas legais para impedir que o presidente Barack Obama feche a prisão de Guantánamo, em Cuba.
Nesta terça, Obama enviou ao Congresso seu plano para fechar a prisão e levar os suspeitos de terrorismo para prisões nos Estados Unidos.
O fechamento da prisão foi uma de suas principais promessas de campanha.
Nesta quarta, Ryan disse a repórteres que os legisladores têm os votos necessários para bloquear no Congresso o plano de Obama e para se sobrepor a um eventual veto.
Ele afirmou ainda que o partido já está se preparando legalmente para garantir que a prisão permaneça aberta e que os detidos não sejam levados aos EUA.
US$ 150 MIL
No início deste mês, os republicanos da Câmara entregaram um contrato de US$ 150 mil a um escritório de advocacia para tratar do assunto caso Obama tente levar os presos de Guantánamo para prisões federais americanas.
"Esses presos não podem vir para o solo americano", disse Ryan.
Obama tem feito pressão para cumprir a promessa de campanha de 2008 de fechar Guantánamo, argumentando que a instalação é uma ferramenta de recrutamento para o terrorismo em todo o mundo e é criticada por muitos países aliados.
O presidente tem enfrentado forte oposição no Congresso. Republicanos e alguns democratas têm dito que não há alternativa a Guantánamo.
Eles argumentam que não querem que suspeitos de terrorismo sejam transferidos para prisões norte-americanas, mesmo que sejam instalações de segurança máxima.
O plano de Obama prevê que cerca de 35 dos atuais 91 prisioneiros sejam transferidos para outros países nos próximos meses. Continuariam na prisão os outros cerca de 60 detentos que enfrentam julgamento militar ou que, apesar de não estarem sendo julgados, são vistos como muito perigosos para serem soltos.