Geral

Brasil e Argentina se unem por bolsa de R$ 45 mi para pesquisa sobre zika

.

LUCIANA DYNIEWICZ
BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - O Brasil e a Argentina fecharam um acordo para concorrerem juntos a um edital da União Europeia que concederá 10 milhões de euros (cerca de R$ 45 milhões) para o desenvolvimento de pesquisas relacionadas ao vírus da zika.
A parceria foi acertada nesta terça-feira (23) em Buenos Aires em uma reunião entre o ministro brasileiro Celso Pansera (Ciência e Tecnologia) e sua contraparte argentina, Lino Barañao.
Pansera afirmou que o próprio governo brasileiro tem editais maiores, mas que é importante disputar recursos para realizar o maior número de pesquisas possíveis na área.
Os argentinos ainda foram convidados a participar de editais que serão lançado nos próximos dias pela Capes e pelo CNPq [agências federais de fomento à pesquisa] também para estudos relacionados ao diagnóstico e ao tratamento da zika. Ainda não foi definido o valor que será liberado para essas pesquisas.
"A Argentina tem interesse em pesquisar conosco, pois o problema da zika tem reflexos no país", afirmou Pansera.
Pelo menos cinco casos de zika já foram confirmados na Argentina. Nas cinco primeiras semanas do ano, também haviam sido registrados 4.900 casos de dengue.
O governo federal brasileiro já fechou outras parcerias internacionais para combater as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Com os Estados Unidos, participa da pesquisa de uma vacina contra dengue e, com 11 países da América Latina, desenvolve medidas como a compra conjunta de medicamentos e a capacitação recíproca de profissionais para realizar diagnósticos.