Mais lidas
Geral

Macri retira subsídios de Cristina, e conta de luz subirá 350% na Argentina

.

LUCIANA DYNIEWICZ
BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - O presidente argentino, Mauricio Macri, começou a retirar os subsídios que foram implementados na economia do país por sua antecessora, Cristina Kirchner.
A medida vinha sendo tratada desde a campanha eleitoral, no ano passado. O primeiro corte se dará na energia, com um aumento de cerca de 350% na conta de luz a partir de fevereiro.
A alta compreende apenas o segmento de geração. Ainda deverão haver outros incrementos na parte de distribuição.
De acordo com o governo, a medida não atingirá cerca de 2 milhões de famílias que se encontram abaixo do nível de pobreza.
Os subsídios kirchneristas eram criticados por beneficiarem toda a população do país, incluindo as classes mais altas.
Com os cortes, o governo pretende reduzir o deficit fiscal. Cálculos do Ministério da Fazenda apontam que os subsídios correspondem a cerca de 4% do PIB. A meta é diminuir esse número para 1,5% ainda neste ano.
A medida, no entanto, deverá pressionar a inflação, um dos grandes problemas de Macri.
Em 2015, os preços avançaram 26,9% apenas em Buenos Aires. Para este ano, o governo projeta que subam entre 20% e 25%. Economistas, porém, preveem que, com a redução dos subsídios, a inflação passará dos 30%.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber