Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Geral

Unasul nega que Venezuela tenha vetado Nelson Jobim em eleições

.

SAMY ADGHIRNI
CARACAS, VENEZUELA (FOLHAPRESS) -A Unasul (União das Nações Sul-Americanas) negou nesta sexta-feira que o magistrado brasileiro Nelson Jobim tenha sido impedido pela Venezuela de chefiar a missão de observação na eleição parlamentar venezuelana em 6 de dezembro.
"O nome do respeitado jurista Nelson Jobim não foi vetado na Unasul [e] está sendo considerado com outros nomes da região para presidir a Missão Venezuela", disse o bloco político por meio de sua conta oficial no Twitter.
Jobim, porém, já descarta qualquer participação na missão, cujo objetivo é reforçar garantias de lisura em meio a temores de que o impopular governo venezuelano poderia recorrer a fraudes para perpetuar-se no Parlamento.
"Estou fora. Não quero saber se é verdade que eles voltaram atrás ou não", disse, por telefone.
Fontes diplomáticas dizem que não houve veto formal, mas uma resistência manifestada nos bastidores por autoridades eleitorais venezuelanas.
O pronunciamento da Unasul surge três dias depois de o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) anunciar sua retirada da missão de observação.
O TSE justificou a decisão pelo suposto veto a Jobim e pela falta de garantias para uma "observação objetiva e imparcial", referência implícita a supostas exigências venezuelanas para que a missão fosse impedida de falar com a oposição e circular livremente.
Em nota, o TSE disse que Jobim, ex-ministro da Defesa e do STF, havia sido aprovado pela presidente Dilma Rousseff para a missão. A reportagem apurou que todos os países do Mercosul haviam sinalizado respaldo ao brasileiro, com exceção da Venezuela.
Jobim atribuiu o veto à sua "independência" e disse que as autoridades de Caracas queriam uma missão observadora que fosse "mera espectadora".
O Planalto, aparentemente preocupado com o mal estar com a Venezuela, considerou precipitada a decisão do TSE de se retirar da missão.
As prerrogativas dos observadores estarão formalizadas num convênio entre a Unasul e a Venezuela que deveria ter sido assinado até a última quarta-feira. O incidente envolvendo a escolha de Jobim, porém, levou à continuação das negociações de bastidores sobre o alcance da missão.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber