Facebook Img Logo
  1. Edhucca Banner
Mais lidas
Geral

Após protestos de estudantes, África do Sul congela tarifas de faculdades

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Milhares de estudantes protestaram nesta sexta-feira (23) contra o aumento das anuidades das universidades na África do Sul. A mobilização é a maior de uma série de protestos contra o governo que ocorrem desde o início da semana.
Os universitários pressionam o presidente Jacob Zuma a baixar as tarifas. Em resposta aos protestos, ele revogou nesta sexta o aumento de 10,5% que era previsto para as taxas pagas pelos alunos no próximo ano letivo.
Na frente da sede do governo sul-africano, em Pretória, estudantes vindos de Johannesburgo, a maior cidade do país, e de outras regiões se juntaram com os alunos de universidades locais no maior dos atos contra o aumento das anuidades.
Para evitar o avanço dos estudantes, a polícia colocou grades de arame farpado e cercas de metal. Porém, isso não evitou que grupos mais radicais atirassem paus e pedras e tentassem escalar as barreiras colocadas pelas forças de segurança.
Alguns manifestantes queimaram pneus e banheiros químicos no descampado em frente aos Prédios da União. A polícia respondeu com bombas de gás lacrimogêneo, balas de borracha e jatos d'água contra a multidão.
Os confrontos não cessaram inclusive depois do anúncio do congelamento das tarifas, feito por Zuma por comunicado e repetido por policiais. Depois que a informação correu entre os manifestantes, o protesto se dispersou.
PARALISAÇÃO
O protesto foi o ponto alto de um dia de paralisação dos estudantes em todas as universidades. Como a população do país, a maioria dos manifestantes é de negros, que são os que mais sofrem com os aumentos das anuidades.
A elevação fazia parte de uma série de medidas para enfrentar a crise que afeta a economia da África do Sul desde 2009. Nos últimos anos, as autoridades também retiraram subsídios dos estudantes mais pobres.
Na quinta (22), o ministro da Educação, Blade Nzimande, havia oferecido aos representantes dos estudantes uma redução do aumento para 6%. A proposta não foi aceita pelos estudantes.
Ao anunciar o congelamento, Jacob Zuma também prometeu discutir outros problemas dos estudantes, como o racismo nas universidades ou suas demandas para uma educação superior gratuita.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber