Facebook Img Logo
Mais lidas
Geral

Estado de Ohio adia execuções penais previstas para 2016

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Estado americano de Ohio anunciou nesta segunda (19) que adiará, pelo menos até 2017, todas as execuções que estavam previstas para 2016 em seu território.
Segundo o Departamento de Reabilitações e Correções de Ohio, não foi possível obter as substâncias necessárias para ministrar as injeções letais, o pentobarbital e o tiopental sódico.
A dificuldade é similar em outros Estados americanos que ainda praticam a pena de morte. Na semana passada, Oklahoma anunciou que nenhuma execução será realizada em seu território até pelo menos o ano que vem.
Nos últimos anos, os fabricantes europeus dessas drogas, reagindo à pressão de grupos contrários à pena de morte, bloquearam sua venda para uso em execuções.
Ao tentar contornar o bloqueio, em janeiro de 2014, o Estado de Ohio administrou uma injeção letal -não testada- cujo sedativo havia sido substituído por midazolam, o que fez com que o preso Dennis McGuire agonizasse por 25 minutos antes de ir a óbito.
Desde então, todas as execuções no Estado foram progressivamente adiadas.
Recentemente, no entanto, a Suprema Corte dos EUA decidiu que a administração do midazolam em execuções penais não violava a Constituição, que proíbe punições cruéis e não usuais.
Onze execuções previstas para 2016 em Ohio foram adiadas. A primeira, marcada para 21 de janeiro de 2016, seria de Ronald Phillips, condenado pelo estupro e assassinato de uma menina de três anos em 1993. A execução foi remarcada para 12 de janeiro de 2017.




O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber