Facebook Img Logo
Mais lidas
Geral

Líderes da UE se reúnem em meio a tensões sobre acolhida de refugiados

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os líderes de países da União Europeia (UE) farão uma reunião extraordinária em Bruxelas (Bélgica) nesta quarta-feira (23) para tentar resolver as tensões em torno da proposta, anunciada na terça (22), do bloco acolher 120 mil refugiados até o final de 2016.
No encontro, também devem ser discutidos temas como o reforço das fronteiras da UE e o envio de ajuda financeira a países vizinhos da Síria, que acolhem hoje a grande maioria das 4 milhões de pessoas que fugiram da guerra civil.
Os governos de Romênia, República Tcheca, Hungria e Eslováquia rejeitaram o plano recém-acordado, que prevê cotas obrigatórias entre membros da UE para a acolhida de estrangeiros.
A Eslováquia anunciou que não vai cumprir a medida e que pretende acionar tribunais internacionais para barrá-la.
"Nós viemos negando esta insensatez desde o princípio, e, sendo um país soberano, temos o direito de processar", disse nesta quarta-feira o primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico.
Também contrário ao projeto, o premiê da Hungria, Viktor Orban, afirmou que irá propor um sistema global de cotas para que "todo o mundo se envolva na gestão da crise de refugiados".
Orban também disse que retomará a proposta de que membros da UE se voluntariem para enviar tropas às fronteiras da Grécia para barrar a entrada de migrantes em território europeu.
ADVERTÊNCIA
Antes do início da reunião, a Comissão Europeia, braço executivo da UE, emitiu advertências contra 19 membros do bloco, incluindo França e Alemanha, sobre a possibilidade de sanções pela falta de respeito à legislação comunitária em termos de recepção aos requerentes de asilo.
O órgão disse que foram desrespeitadas regras sobre o tratamento humanizado de requerentes e sobre a garantia de clareza e agilidade no processamento de pedidos de asilo.
"Nosso sistema de asilo comum europeu só pode funcionar se todos respeitarem suas regras", disse o vice-presidente da Comissão, Frans Timmermans.
Segundo a agência de notícias AFP, a Comissão também propôs destinar 1,7 bilhão de euros (R$ 7,7 bilhões) adicionais à UE para enfrentar a crise de refugiados. Parte dessas verbas podem ser direcionadas a países de fora do bloco, como a Sérvia e a Turquia.
Caso os recursos sejam aprovados, os valores destinados pela UE para enfrentar a crise somarão 9,2 bilhões de euros (R$ 42 bilhões) para os próximos dois anos, informou a comissária europeia para o Orçamento, Kristalina Georgieva.
A Europa é atualmente um dos cenários da crise global de refugiados e migrantes. Segundo o Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), mais de 411 mil pessoas tentaram chegar ao continente por meio de travessias perigosas no Mediterrâneo desde o início de 2015.




O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber