Mais lidas
Geral

Motorista de acidente em Paraty fazia trajeto havia pouco tempo, diz amigo

.

ITALO NOGUEIRA, ENVIADO ESPECIAL
PARATY, RJ (FOLHAPRESS) - O motorista Marcel Silva não costumava fazer o trajeto Paraty-Trindade, em que houve no domingo (6) o acidente com 15 mortes. Ele tinha medo do itinerário e não gostava dos ônibus usados pela Colitur que percorriam a rota.
A informação é do comerciante Alberes Claudino, 41, amigo do motorista. Silva está internado em Ubatuba (SP).
"Ele não costumava fazer essa linha não. Ele fazia Paraty-Angra. Marcel dizia que a linha para Trindade era a pior que tinha. Os carros são muito velhos e a estrada perigosa", afirmou Claudino.
O ônibus tombou perto de local conhecido como Morro do Deus Me Livre. A vila de Trindade é um dos principais destinos turísticos de Paraty.
O delegado-adjunto Marcio Teixeira de Melo afirmou que perícia inical no ônibus não identificou falhas mecânicas.
Em nota, a empresa dona do ônibus diz lamentar o acidente e que irá investigar suas causas.
"A Colitur lamenta profundamente o ocorrido e informa que está apurando as causas do acidente e prestando todos os esclarecimentos às autoridades. Informa também que está prestando todo o apoio às vítimas e aos familiares das vítimas fatais".
FERIDOS
Em nota oficial divulgada na madrugada desta segunda-feira (7), a Prefeitura de Paraty (RJ) informou que cinco vítimas estão internadas em estado grave em hospitais da região.
Seis pessoas feridas estão no hospital municipal São Pedro de Alcântara, em Paraty; 25 foram transferidas para o hospital de Praia Brava, em Angra dos Reis (RJ), mas 24 já tiveram alta; 12 foram para o Hospital Geral da Japuíba, em Angra; três para São Gonçalo (RJ); três para Caraguatatuba (SP) e oito para Ubatuba (SP).
Por causa do acidente, a prefeitura cancelou o desfile de 7 de Setembro programado para comemorar a Independência do Brasil na avenida Roberto Silveira, a principal via da cidade, nesta segunda-feira.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber