Mais lidas
Geral

Em evento, Trump dá telefone de rival que o chamou de babaca

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O magnata e pré-candidato republicano à Presidência dos EUA Donald Trump deu o troco nesta terça-feira (21) ao senador Lindsey Graham, rival na disputa dentro do partido, que o havia chamado de babaca.
O insulto do senador foi feito na noite de segunda (20), enquanto criticou o empresário ter colocado em dúvida o fato de que o senador republicano John McCain era um herói de guerra.
"Ele está se tornando um babaca na hora em que temos que fazer um sério debate sobre o futuro do partido e do país. Esta é uma linha que ele cruzou e é o começo do fim para Donald Trump."
Durante discurso na Carolina do Sul, Estado que Graham representa no Senado, o empresário deu o telefone do senador e pediu aos seus espectadores que o ligassem. Antes disso, Trump o chamou de idiota.
"Ele não parece ser um cara muito brilhante. Provavelmente não seja mais brilhante que Rick Perry [ex-governador do Texas e outro candidato republicano]. Pode ser até que Perry seja mais inteligente que Lindsey Graham."
O ex-apresentador do reality show "O Aprendiz" disse que Graham o procurou para pedir que falassem bem dele em um programa do canal Fox News e, por isso, lhe deu o número de telefone.
Em entrevista ao site Politico, o senador pela Carolina do Sul disse que seu telefone recebeu diversas chamadas e lamentou que Trump esteja desviando a atenção de assuntos verdadeiramente importantes.
Pouco depois, brincou com a situação e pediu a opinião de seus seguidores sobre seu novo celular na rede social Facebook: "Provavelmente conseguindo um telefone novo. iPhone ou Android?".
POLÊMICA
Depois do envolvimento em diversas polêmicas, Trump lidera as pesquisas na corrida republicana para a Casa Branca, com 18% das intenções de votos, segundo levantamento do site RealClearPolitics.
A crítica a McCain foi feita no sábado (18), em entrevista à CNN. Trump disse que o senador não poderia ser considerado um herói porque foi um prisioneiro das forças do comunista Vietnã do Norte.
"Ele não é um herói de guerra. Ele é um herói de guerra porque ele foi capturado. Gosto de pessoas que não foram capturadas."
No anúncio de sua candidatura, em junho, Trump criticou os mexicanos, provocando forte comoção.
"Quando o México manda seu povo [aos EUA], manda pessoas que têm um monte de problemas e que trazem esses problemas para nós. Eles trazem as drogas, trazem o crime, são estupradores. E alguns deles, eu admito, são boas pessoas."

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber