Facebook Img Logo
Mais lidas
Geral

Presidente da Interfarma critica 'posição medíocre' em inovação

.

IARA BIDERMAN
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Representantes da indústria farmacêutica e da medicina privada debateram a sustentabilidade do sistema de saúde brasileiro nesta segunda (11), no 2º Forum a Saúde do Brasil, promovido pela Folha de S.Paulo. Antônio Britto, presidente-executivo da Interfarma (Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa), afirmou que a discussão não avança porque todos os lados envolvidos estão "discutindo bobagens".
Bobagem, para ele, é questionar a existência do SUS, que, segundo ele, tornou possível o avanço da saúde nos últimos 25 anos, mas que não garante os passos hoje necessários para avançar. Britto criticou a "posição medíocre" do país na área de inovação e a oposição entre a universidade e a iniciativa privada, que impede a pesquisa e a criação de novas patentes.
Pedro Ramos, diretor da Abramge (Associação Brasileira de Medicina de Grupo), afirmou que o sistema de saúde no Brasil só será sustentável se estiver comprometido com a diminuição da desigualdade no país. Também tratou de questões mais pontuais como o sistema tributário complexo e a alta carga fiscal para medicamentos no país.
Ele ainda criticou diretamente a fala do ministro Arthur Chioro, que abriu o Fórum: "Esperava que o ministro apresentasse um projeto de Estado, mas ele só apresentou um plano de governo". Na sua opinião, o sistema de saúde só será sustentável se combater o desperdício, tanto no setor privado quanto no público.
É urgente, para Ramos, acabar com o vazamento de recursos em áreas "criminosas". "Existe uma máfia instaurada em todos os hospitais do Brasil, e em muitos consultórios médicos e escritórios de advocacia, que é da OPME", disse, referindo-se à máfia das próteses.
Para Gonzalo Vecina Neto, superintendente do Hospital Sírio-Libanês, a sociedade brasileira precisa discutir como quer que determinadas funções do Estado sejam executadas, colocando os dogmas de lado. "Dizer 'eu sou contra o lucro', por exemplo, tem a ver com ideologia, mas sobretudo, com o dogma", disse ele.
"Saúde não é nenhuma torre de marfim. Todos os países que conseguem ter um bom sistema de saúde tem outros bons sistemas que apoiam o desenvolvimento de bem estar social", ressaltou.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber