Facebook Img Logo
Mais lidas
Geral

Mulher sacou aposentadoria da mãe falecida 

.

A Advocacia-Geral da União (AGU) assegurou, na Justiça, a condenação de uma mulher do Amapá que sacou por sete anos a aposentadoria rural da mãe dela, mesmo após o falecimento da segurada, em 1998. Ela foi condenada a ressarcir em mais de R$ 38 mil o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Os saques só foram suspensos em 2005, quando o benefício foi cortado pela Previdência. Em sua defesa, a filha da segurada admitiu ter sacado os valores, mas disse que tinha a intenção de devolver o dinheiro.

A Procuradoria Federal no Estado do Amapá (PF/AP) e a Procuradoria Federal Especializada junto ao Instituto (PFE/INSS), no entanto, argumentaram que a atitude da ré afronta o Decreto nº 6.214/2007. A norma obriga os familiares a informar o falecimento ao INSS e prevê a suspensão do benefício em caso de morte do segurado.

Os procuradores federais pediram a condenação da ré a devolver o dinheiro recebido indevidamente e solicitaram o bloqueio dos investimentos financeiros dela para garantir o ressarcimento aos cofres públicos.

A 6ª Vara do Amapá acolheu os argumentos apresentados pela AGU e condenou a ré a devolver os valores sacados indevidamente. A decisão ressaltou que ficou comprovada má-fé, pois mesmo ciente da irregularidade ela teria pedido a reativação do benefício e, em 2006, havia encaminhado ao posto de atendimento do INSS uma senhora que tentou se passar pela segurada falecida.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber