Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Geral

Conflitos deixam mortos na Caxemira

.

SÃO PAULO, SP - Os enfrentamentos entre Índia e Paquistão na fronteira da dividida -e disputada- região da Caxemira causaram neste sábado (3) a morte de quatro pessoas e deixaram outras oito feridas, informaram fontes oficiais.
O fogo cruzado entre militares dos dois países vizinhos começou na madrugada nos distritos indianos de Samba e Kathua e ambas as partes se acusaram de provocar o incidente, o segundo com vítimas mortais na última semana.
O serviço de comunicação do Exército do Paquistão (ISPR) informou em comunicado que uma menina de 13 anos morreu por conta de disparos "não provocados" por parte de militares indianos e que uma criança de oito anos ficou ferida no choque.
"Os soldados paquistaneses responderam de forma apropriada ao fogo indiano", indicou a nota.
Por sua vez, o delegado da polícia indiana Anil Magotra disse à imprensa que uma mulher de 45 anos morreu na cidade de Mangu Chak pelo impacto de um morteiro e que oito civis ficaram feridos em consequência da "agressão" paquistanesa que começou na noite desta sexta-feira (2) e continuou na manhã deste sábado.
De acordo com a agência indiana "Ians", dúzias de famílias que vivem perto da fronteira fugiram a zonas seguras devido ao fogo paquistanês.
Este novo incidente ocorre após um soldado indiano e quatro paquistaneses morrerem na quarta-feira (31) por enfrentamentos entre militares de ambos países ao longo da fronteira que divide os territórios da Caxemira.
Estes choques são os mais importantes desde outubro, quando a troca de tiros e morteiros através da fronteira na Caxemira deixou oito indianos mortos e cerca de 60 feridos, enquanto em solo paquistanês 12 civis morreram e 43 ficaram feridos.
A Índia acusa o Paquistão de apoiar atividades terroristas em seu solo, como o atentado na metrópole de Mumbai de 2008 que deixou 166 mortos, e de apoiar a insurgência na Caxemira.
Aos pés do Himalaia, a Caxemira é a única região da Índia com maioria muçulmana, e o Paquistão reivindica sua completa soberania desde a partilha do subcontinente, realizada em 1947 com critérios religiosos.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Geral

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber