Geral

Primo de Jean Charles foi alvo de grampos ilegais no Reino Unido

Da Redação ·
 Jean Charles de Menezes foi morto em 2005 pela polícia britânica. Um primo dele teria sido espionado pelo tabloide News of the World
fonte: Divulgação - Justice4Jean
Jean Charles de Menezes foi morto em 2005 pela polícia britânica. Um primo dele teria sido espionado pelo tabloide News of the World

Um primo do brasileiro Jean Charles de Menezes - morto pela polícia britânica em um metrô de Londres em 2005 - foi alvo de escutas ilegais realizadas pelo tabloide News of the World, informou nesta quinta-feira (14) a Scotland Yard.
Outras pessoas vinculadas a ele disseram temer que suas ligações tenham sido interceptadas também. Familiares, ativistas e brasileiros que vivem na Inglaterra passaram seus dados telefônicos para a polícia checar se houve grampos.

continua após publicidade

Jean Charles foi morto pela polícia britânica ao ser confundido com um terrorista na estação de Stockwell. As investigações foram concluídas sem que ninguém fosse punido.

O tabloide News of the World é suspeito de realizar escutar ilegais contra milhares de pessoas, entre elas personalidades britânicas e membros da família real. Diante das denúncias, a publicação foi fechada. A última edição do periódico foi às bancas no último domingo (10).

continua após publicidade

O jornal fazia parte do grupo News International, a divisão britânica do conglomerado News Corp., do magnata Rupert Murdoch.

Convocação

Murdoch e seu filho James foram convocados formalmente a comparecer na próxima terça-feira (19) a uma comissão do Parlamento britânico, depois que rejeitaram um convite inicial. O convite foi feito também à diretora da News International, Rebekah Brooks, que aceitou.

continua após publicidade

Murdoch e o filho disseram, quando receberam o convite, que não poderiam comparecer na data marcada. Eles propuseram como alternativa o dia 10 de agosto.

Os membros da comissão consideram que Murdoch e os dois principais diretores da News International devem comparecer ante a comissão. Os parlamentares esperam que eles expliquem “a conduta da News International e as prévias declarações feitas à comissão - que, agora se sabe, são falsas”.
Prisões

A polícia britânica também anunciou hoje a detenção de um homem de 60 anos na investigação do escândalo de escutas telefônicas ilegais praticadas pelo agora extinto tabloide. Segundo a imprensa britânica, o detido é Neil Wallis - que foi chefe de redação adjunto do tabloide. Ele esteve no cargo enquanto Andy Coulson - ex-diretor de comunicação do primeiro-ministro David Cameron - que foi preso na semana passada, mas saiu sob fiança.

continua após publicidade

O detido foi levado para uma delegacia para ser interrogado como suspeito de “conspirar para interceptar comunicações”, informou a Scotland Yard.

A detenção mais relevante até o momento foi a de Coulson. Ele comandou a redação do News of the World de 2003 a 2007, quando teve que renunciar em consequência da condenação à prisão de dois funcionários do tablóide - o jornalista especializado em realeza Clive Goodman e o detetive Glenn Mulcaire.

Fechamento

A News International teve que anunciar na semana passada o fechamento do News of the World depois do agravamento de escândalo das escutas ao ser revelado que funcionários do jornal interceptaram na última década as ligações de até 4.000 pessoas, não apenas políticos e famosos, como também de uma menor assassinada e de familiares de vítimas de atentados.