Geral

Prêmios de loterias rendem R$ 170 milhões a universitários

Da Redação ·

Todo mundo que aposta nas loterias sonha em ficar rico. Para poucas pessoas esse dia chega, mas nem todas vão à Caixa Econômica Federal resgatar o prêmio. Depois de 90 dias, o dinheiro vai todo para o Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior), programa que dá empréstimos a juros baixos para estudantes matriculados em universidades particulares. Só em 2010, a Caixa registrou a soma de quase R$ 170 milhões em prêmios não retirados.
Só de bilhetes da Mega-Sena, a loteria mais disputada do país, foram esquecidos R$ 70 milhões no ano passado.

continua após publicidade

Em 2010, o Fies recebeu, ao todo, R$ 793,67 milhões das loterias. Neste valor, já estão computados os R$ 168 milhões dos bilhetes vencidos. O MEC (Ministério da Educação) não soube informar quantos estudantes foram beneficiados pelo dinheiro esquecido das apostas.

A arrecadação das loterias foi de R$ 8,8 bilhões no ano passado. Deste total, R$ 4 bilhões foram repassados para programas sociais, como o Fies, o Fundo Nacional da Cultura e o Fundo Penitenciário Nacional, e para órgãos ligados ao esporte, como clubes de futebol e comitês olímpico e paraolímpico.

continua após publicidade

Bilhetes esquecidos

Gilson César Pereira Braga, superintendente nacional de Loterias da Caixa, explica que, em geral, as pessoas se esquecem de conferir os bilhetes que dão direito a prêmios pequenos. Pelo menos no ano passado, a Caixa não registrou nenhum grande vencedor que deixou de levar a bolada para a casa.

A soma das apostas vencedoras não retiradas tem crescido ao longo dos anos, assim como a arrecadação da Caixa. Em 2008, elas somaram R$ 111 milhões. Em 2009, foram R$ 131 milhões.

continua após publicidade

Não há justificativa que salve o apostador “esquecido” depois do prazo, explica Braga.

- Por lei estamos proibidos de pagar. O decreto que regulamenta e cria as loterias federais diz claramente que o apostador tem até 90 dias corridos para resgatar o prêmio.