Geral

Mais de 1.400 são detidos em protesto por reforma eleitoral

Da Redação ·
 Membros da Coalizão por Eleições Limpas e Justas se protegem das bombas de gás atiradas pela polícia em Kuala Lumpur
fonte: Damir Sagoli - Reuters
Membros da Coalizão por Eleições Limpas e Justas se protegem das bombas de gás atiradas pela polícia em Kuala Lumpur

A polícia da Malásia disparou gás lacrimogêneo e deteve mais de 1.400 pessoas na capital, Kuala Lumpur, neste sábado (9), quando milhares de ativistas ultrapassaram barreiras e cercas de arame farpado para realizar um protesto contra o governo do primeiro-ministro Najib Razak.

continua após publicidade


Pelo menos doze pessoas ficaram feridas nas manifestações por reformas eleitorais no centro da cidade. Não houve relatos de ferimentos graves, mas alguns ativistas disseram que a ação policial foi excessiva, o que poderia prejudicar a imagem de Najib. "Nós não somos criminosos, queremos apenas pedir eleições livres e justas", disse Nurul izzah Anwar à agência de notícias Reuters após seu pai ter sido derrubado e ferido no meio da manifestação. "Muitas pessoas inocentes foram feridas. Condenamos este ato de crueldade", disse ela, referindo-se ao partido de Najib e da coalizão governista.