Geral

Paul McCartney faz último show no Rio

Da Redação ·
Diferentemente do domingo, Paul McCartney entrou pontualmente às 21h30 no palco do Engenhão, hoje, no Rio, vestindo terno preto, como toda a banda, e abriu o show não com "Hello, Goodbye", mas com "Magical Mystery Tour". Esta não foi a única mudança no roteiro. Paul também incluiu "Comin' Up" e "Got to Get You Into My Life", tirou do repertório "Drive My Car" e contou que compôs "Blackbird" para confortar os americanos que sofreram com a Guerra Civil nos anos 1960. Com praticamente o mesmo público de 45 mil da primeira noite (até a tarde de ontem restavam cerca de 500 ingressos para as cadeiras superiores à venda), e apesar dos inconvenientes reflexos de um dia comum de trabalho, a animação era grande e o som estava melhor do que no início da primeira noite. Revisitando diversas fases da carreira na turnê "Up and Coming", o set list de Paul, com 33 canções, privilegia o repertório de sua banda maior. Além das clássicas parcerias com John Lennon, ele também faz outras referências a ele, acrescentando o refrão de "Give Peace a Chance" no final de "A Day in the Life" e dedicando ao amigo outra canção, "Here Today". O Estádio Olímpico João Havelange é bonito e relativamente pequeno, o que deu ao show de Paul um ar mais "intimista", se é que se pode dizer. Ficou melhor para ver até os imensos telões laterais - que mostravam Paul na maior parte do tempo, alternando com detalhes dos músicos de sua banda - e o do fundo do palco, que projetava vídeos. Porém, por conta de sua estrutura vazada na parte superior, o estádio não tem acústica adequada para shows, mas passou no teste (o de Paul foi o primeiro).
continua após publicidade