Geral

Centro universitário expulsa alunas envolvidas em briga

Da Redação ·

O Centro Universitário Barão de Mauá, de Ribeirão Preto (SP), decidiu, após uma sindicância interna, que duas alunas de enfermagem, envolvidas em um caso de agressão no dia 1.º de abril deste ano, devem ser "transferidas" de instituição de ensino. Na prática, ambas foram expulsas da universidade. Na época, Ana Cláudia Karen Lauer, de 20 anos, disse que foi vítima de bullying por outra estudante, Renata Elen dos Santos, da mesma idade, que negou a acusação. Na briga, Ana Cláudia ficou com hematomas no olho esquerdo. A advogada dela deverá recorrer da decisão, embora Ana Cláudia tenha dito, na época, que não voltaria à instituição. A Polícia Civil investiga o caso. Em nota, o centro universitário cita que a decisão ocorreu por quebra do regimento interno, que prevê o desligamento em casos disciplinares graves. A agressão teria ocorrido fora das dependências da instituição. A nota informa que a direção optou por "acatar o parecer conclusivo da Comissão de Sindicância instaurada pela Portaria 06/2011 da Reitoria para apurar o fato, conforme estabelece o Regimento Interno, e assim, desligar do quadro discente, por transferência, as alunas do Curso de Enfermagem do Centro Universitário Barão de Mauá envolvidas no evento". Ana Cláudia alegou que foi agredida por Renata após denunciar, à coordenadoria do curso, que sofria bullying das colegas (agressões verbais e isolamento). A agressão ocorreu após as aulas, perto do prédio da universidade, e Ana Cláudia foi atingida no rosto por golpes de capacete. As duas registraram a briga na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), que abriu inquérito. Existem versões contraditórias das duas, mas a reação de Renata teria sido desproporcional. A advogada de Ana Cláudia, Ana Letícia Rodrigues da Cunha e Martins, entrará nos próximos dias com recurso administrativo na própria instituição para tentar reverter a decisão do "desligamento".

continua após publicidade