Geral

Otan não chega a acordo sobre operação na Líbia

Da Redação ·
Os 28 países que integram a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) fracassaram hoje em dar à aliança o comando das operações militares na Líbia, informou um diplomata da organização. "Não houve acordo e as discussões continuam", disse o diplomata após uma rodada de negociações entre os 28 embaixadores. A discussão será retomada amanhã. Os embaixadores discutem se a Otan deve assumiu o comando da imposição da zona de exclusão aérea sobre a Líbia. A França insiste que o controle precisa continuar nas mãos da coalizão internacional, enquanto a Otan deveria estar na frente do planejamento e das operações. A Itália acusou a França de ser "intransigente" ao não deixar o comando das operações com a Otan e criticou o reconhecimento francês ao Conselho Nacional da Líbia, o governo interino que os insurgentes montaram em Benghazi. "Nós precisamos voltar às regras, com apenas uma cadeia de comando sob a Otan", disse o chanceler italiano Franco Frattini em discurso no Senado da Itália. O porta-voz da chancelaria italiana, Maurizio Massari, acrescentou: "Existe alguma resistência entre alguns países da Otan. A França tem sido a mais intransigente. A Europa se dividiu. Isso não é algo antifrancês. Estamos falando sobre uma missão importante na qual a Europa precisa agir unida para ter credibilidade". Massari criticou a decisão francesa tomada no começo de março de reconhecer o Conselho Nacional da Líbia, em Benghazi, como governo legítimo do país. "Acreditamos que é difícil que o Conselho em Benghazi possa ser reconhecido como o governo legítimo da Líbia inteira", disse. As informações são da Dow Jones.
continua após publicidade