Geral

Afeganistão revela plano para assumir segurança do país

Da Redação ·
O governo do Afeganistão informou hoje que as forças de segurança do país tomarão o controle de áreas como a capital da província de Helmand, Lashkar Gah, atualmente protegidas pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A troca de controle deve ocorrer até setembro. A previsão é que todas as tropas estrangeiras deixem o país até o fim de 2014. O Afeganistão terá "responsabilidade total pela segurança" de maior parte da província de Cabul, incluindo a capital provincial, de mesmo nome e também capital do país, e de Lashkar Gah, capital da instável província de Helmand, no sul afegão, disse o presidente Hamid Karzai hoje. O país também assumirá as responsabilidades de segurança nas províncias Panjshir e Bamiyan, na maior parte da cidade de Herat, em Mazar-i-Sharif, capital da província de Balkh, e em Mehtarlam, capital da província de Laghman, segundo Karzai. "O Afeganistão não quer que outros sejam responsáveis por sua segurança e defesa", disse o presidente a graduados militares e policiais. O cronograma para a retirada estrangeira foi fechado entre o governo local e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e seus aliados. "Este ano é um marco no processo da construção do governo e da paz", notou Karzai. "Este é o ano de assumir mais responsabilidade", acrescentou, falando no segundo dia do novo ano afegão. O presidente pediu novamente para que a oposição armada pare seus ataques e una-se ao processo de paz, "de outro modo eles serão responsáveis pela presença continuada de estrangeiros (no país)". O anúncio de Karzai ocorre após os países aliados que enviam tropas ao país concordarem, no ano passado, em começar a se retirar das áreas sob seu controle. Com isso, as tropas ocidentais teriam um papel mais de apoio às forças locais. Porém, com a insurgência ainda atacando, há dúvidas sobre se as forças de segurança locais podem assumir essa responsabilidade. Os líderes militares afegãos reclamam da falta de recursos. Alguns analistas citam a corrupção e os baixos índices de retenção dos suspeitos como problemas. Obama disse esperar que as tropas norte-americanas comecem a deixar o Afeganistão em julho, em um momento em que cai o apoio popular à guerra afegã nos EUA. O ano passado foi o mais violento para as tropas internacionais desde o início do conflito, em 2001, com mais de 700 mortes de soldados estrangeiros. As informações são da Dow Jones.
continua após publicidade