Geral

SEE-MG corrige: pais podem pedir mudança de alunos

Da Redação ·
A matéria enviada anteriormente tinha uma incorreção. A Secretaria de Estado da Educação (SEE) de Minas Gerais corrigiu informação prestada pela escola e disse que são as famílias quem devem pedir a transferência dos alunos. Segue o texto corrigido: Três adolescentes com idades de 14 e 15 anos foram encaminhados para o Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional de Belo Horizonte (CIA-BH) após um deles dar um tiro dentro da sala de aula. Segundo a Polícia Militar (PM), o rapaz, de 15 anos, teria levado a arma para a Escola Estadual Maria Amélia Guimarães para assustar um colega por causa de um desentendimento em uma fila de bebedouro. De acordo com a ocorrência registrada pelo 16º Batalhão da PM, testemunhas contaram que o tiro foi acidental, no momento em que o jovem brincava com a arma dentro da sala, na manhã de ontem. A bala ricocheteou no chão e atingiu o teto. Ainda segundo a PM, o próprio adolescente que estava com a arma teria sofrido ferimentos leves na mão com estilhaços do projétil. Após o tiro, houve um princípio de pânico na escola, localizada no bairro Pirajá, na região nordeste da capital mineira. O acusado ainda tentou se livrar do revólver calibre 38, que pertenceria a seu pai, com a ajuda de colegas. Segundo a Secretaria de Estado da Educação (SEE), um dos menores levados pela PM para a delegacia era a vítima da ameaça. Outro estudante, que testemunhou o caso, também teria acompanhado a ocorrência. A direção da escola afirmou que pode ser pedida a transferência dos estudantes. De acordo com a SEE, no entanto, essa medida é voluntária e fica a cargo das famílias de cada um dos envolvidos.
continua após publicidade