Geral

Devassa na Polícia Civil de SP derruba mais 2 diretores

Da Redação ·
Um dia depois do afastamento do diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Marco Antônio Desgualdo, a cúpula da Polícia Civil de São Paulo resolveu trocar dois outros diretores da instituição. Foram atingidos os delegados Luiz Maurício de Souza Blazeck, diretor do Departamento de Administração e Planejamento (DAP), e Elson Alexandre Sayão, diretor do Departamento de Identificação e Registros Diversos (Dird). Se o primeiro é um departamento burocrático, o segundo cuida da Divisão de Capturas e da Divisão de Atendimento aos Turistas. A decisão de se fazer as mudanças foi tomada pelo delegado-geral, Marcos Carneiro Lima. Eles as classificou como "ajustes necessários", mas negou que elas tenham relação com o escândalo de espionagem que derrubou Desgualdo. Ambos estavam em seus cargos desde 2009. Trabalhavam no mesmo prédio de Desgualdo, o Palácio da Polícia, na Rua Brigadeiro Tobias, no centro da capital paulista. As mudanças acontecem em meio à devassa iniciada por causa da descoberta de que o titular da pasta, o secretário Antônio Ferreira Pinto, estava sendo espionado por policiais. Um vídeo com imagens de um encontro do secretário com um jornalista foi divulgado por sites na internet. O objetivo era vincular o secretário à divulgação de notícias contra o sociólogo Túlio Kahn, ex-coordenador de estatísticas da secretaria e, assim, desgastá-lo com o governador Geraldo Alckmin. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
continua após publicidade