Geral

AIEA descarta que crise no Japão se iguale a Chernobyl

Da Redação ·
O secretário-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, disse hoje que é "muito improvável" que a crise na usina nuclear em Fukushima, no Japão, transforme-se em uma situação como a de Chernobyl, na Ucrânia. "A possibilidade de que a evolução desse acidente passe para algo como Chernobyl é bastante improvável", disse Amano, que já foi diplomata do governo japonês. Em declaração separada, o chefe da agência de segurança da França, Andre-Claude Lacoste, disse que o acidente nuclear em Fukushima é pior que o de Three Mile Island, nos Estados Unidos, mas não tão grande como Chernobyl. O acidente em Three Mile Island ocorreu em 1979, na Pensilvânia, e é considerado de grau cinco, em uma escala de acidentes que vai de zero a sete. O acidente nuclear de Chernobyl é classificado como de grau sete. Ocorrido em 1986, o acidente de Chernobyl é considerado o pior desastre nuclear da história. Segundo um relatório anterior da Organização das Nações Unidas (ONU), 2,3 milhões de pessoas foram afetadas pelo acidente nuclear de Chernobyl, que resultou no isolamento de uma área de 2.640 quilômetros quadrados. A agência de segurança nuclear do Japão estimou que o acidente em Fukushima era de nível quatro. "Nós temos a sensação de que estamos pelo menos no nível cinco e provavelmente no nível seis", disse Lacoste, chefe da Autoridade de Segurança Nuclear da França. As informações são da Dow Jones.
continua após publicidade